Romulo Nétto - Indicação de leitura.


Jamais escondi do mundo a minha fome incontrolável pela informação e esta ânsia insaciável de saber, de conhecer tem sido aplacada nas formas mais variadas possíveis. Livros, televisão, revistas, internet, cinema, enfim onde houver o que "comer" lá estarei eu degustando. Apesar do terreno perdido para as mídias, os livros ainda são a melhor pedida para uma boa degustação de conhecimento e por assim ser, eu tenho profundo respeito por eles e seus escritores. Acredito que não há envelhecimento no que se escreve, todo conteúdo é sempre novo para quem abrir a página e sempre haverá espaço para o passado para quem busca o futuro. É de mim acreditar que a fome é o melhor dos temperos e que sem ela é impossível gostar do que se come. A fome acentua e eleva o sabor da leitura a um manjar excelente cujos deuses jamais provaram. Me declaro faminto pela leitura, mas ao mesmo tempo também sou deveras exigente, não degusto qualquer coisa pois a minha fome torna meu paladar refinado e para mim uma boa leitura é aquela que me abre o apetite, me instiga, me seduz a continuar virando páginas e ir buscar o final. Não posso continuar lendo se não me sentir um prisioneiro cativo do que estou degustando. Quero iniciar a leitura e já sentir um compromisso de continuá-la, uma vontade irresistível de esquecer a horas até perdê-las, sem preocupar-me com o passar do tempo. Um bom escritor sabe como aprisionar seu leitor nas páginas do seu livro, ele sabe criar a mágica perfeita que transforma a curiosidade de quem lê em fascínio, em uma embriagues gostosa. Muitos escrevem, poucos dominam esta técnica.
Engana-se aquele que pensa que estou aqui fazendo uma auto-descrição. Não estou falando de mim, mas do Escritor mineiro, lá de Paracatu, Romulo Nétto.
Romulo Nétto nascido em Paracatu-Minas Gerais em 03 de Março de 1946. Graduado em Comunicação Social, habilitado em Jornalismo pela Universidade Federal de Brasília em 1971. Foi Presidente da Comissão Permanente de Concurso Vestibular da Universidade Federal de Mato Grosso entre 1974 a 1979 onde também foi supervisor da Imprensa Universitária entre 1979 e 1991. Implantou a editora Universitária. Estão entre suas obras:
As Jagunças.
Filisberto das Âncoras.
Contos dos Gerais.
Cidades, Ciudades.
Bom Dia, Senhor Presidente.
Tarenço, o Capanga de Lata.
Os deserdados da sorte.
Tatão Malemais, O Capador de Anjos.
Transitoriedades, Palavra.
O Infinito desespero de Ementério.
* Os livros citados são de publicação da Editora Carlini & Caniato Editorial (Tanta Tinta).
Lendo Romulo Nétto é fácil viajar pelo mundo mineiro conhecendo a riqueza do cenário local, os costumes e tradições sempre descritos com riqueza e precisão de estilo. "Contos dos Gerais" foi assim de um sabor brejeiro e gostoso, peculiaridade do autor que apimenta com sutileza e sensualidade os momentos descritos. Sofrimento, magia e verdade, uma aventura pelos encantadores cenários mineiros. "Cidades, Ciudades", me envolveu na precisão cirúrgica do versos curtos, porém riquíssimos na profundidade. Uma viagem pelo mundo, pela História, pelos fatos marcantes da humanidade. Como não me deliciar nas aventuras do travesso "Tatão Malemais, O Capador de anjos"? Bebi absurdamente das peripécias do personagem, ora ousado, ora ingênuo, mas sempre disposto a buscar suas indagações pelo mundo afora. O casamento perfeito da descritiva da História e do sabor pimenta escondendo a sensualidade de Tatão, um misto do antigo e do novo, sagrado e profano.
Quero de pronto agradecer aos amigos escritores Daufen Bach (Revista Biografia) e ao Romulo Nétto por me darem a oportunidade de degustar tão proveitosa leitura, um manjar real aos que sabem apreciar a boa leitura e que eu sinceramente indico aos que gostam das aventuras saborosas nas páginas dos livros.

Texto de Tony Casanova
Facebook - tony.casanova1
Twitter - @prodacultural

Seguidores do Google