Direito | A legitimidade das ações. [Tony Casanova]


Vez em quando paramos para refletir sobre aquilo que é certo ou errado. Inquirimos sobre o que podemos ou não fazer, aquilo que é socialmente aceitável. Se formos observar e nos aprofundarmos bem nesta questão, veremos que ela é bem mais complexa que imaginamos. Vamos então à resolução de algumas destas questões:

O que podemos? Ora queridos, nós podemos tudo que formos capazes. Somos capazes de muito, acreditem e temos liberdade de arbítrio para fazermos tudo que decidirmos.

O que devemos? Eis a contra-mão de direção, se por um lado podemos tudo, por outro estamos limitados ao que devemos fazer. Ai entram as questões éticas e morais que apontarão o que é lícito ou não.

A legalidade das ações. Socialmente vivemos em grupos e estes grupos são regidos por Termos Constitucionais, assim há um conjunto de regras que indicam o que é legal ou não. Todos pertencentes ao mesmo grupo social são regidos por estas regras.

O Lícito e o Ilícito. Existem normas que regulamentam a ética e a moral nas ações e juntas formam a Constituição de um País, assim todos tem descritos seus Deveres, Direitos e Obrigações dentro das regras Constitucionais. A Lei garante a legitimidade de uma ação através de princípios éticos e morais de acordo a beneficiar e garantir a igualdade de condições para todos os membros contidos ali. O grande paradoxo está na constatação de que nem tudo que é legal é legítimo e nem tudo que é de Direito é de fato.

Quando falamos em sociedade nos referimos ao conjunto de indivíduos de um mesmo território, mesma pátria ou mesmo planeta, tendo em vista que a espécie humana forma a maior sociedade existente na terra e ninguém é cidadão, senão do mundo. Voltemos então à questão inicial, aquilo que podemos. As Constituições garantem que podemos tudo, desde que seja Moral, Ética e Legalmente correto. Nisso as Leis visam a garantia dos Direitos de um indivíduo sem que este ultrapasse o Direito do outro, assim a nossa liberdade de arbítrio é limitada porque precisa ser legitimada pela Constituição que nos rege.

O conhecimento dos nossos Direitos, dos Deveres e das Obrigações nos oferece as ferramentas para o cometimento de ações politicamente corretas, isentas de infrações e distantes das punições. É função da Justiça, através da Constituição Federal, julgar, condenar ou absolver, sentenciar ou libertar aqueles que infringiram ou são suspeitos ou acusados de infrações contra estes Direitos. Há um versículo Bíblico de ampla profundidade nesta questão que diz: “Tudo te é lícito, mas nem tudo te convém.” A frase, aplicada de maneira corretíssima, serve de espelho para toda sociedade humana, desde os pequenos grupos individuais até a sociedade como um todo. Em qualquer meio social existe a liberdade de ação, desde que ela seja conveniente, já que o poder que temos limita-se ao Direito outorgado ao outro.

É de nossa competência conhecermos não só os nossos Direitos, mas também conhecermos e respeitarmos o Direito Coletivo. Não podemos esquecer porventura que a garantia dos Direitos de um cidadão lhe é outorgada após o cumprimento dos seus Deveres e Obrigações.

Texto do escritor Tony Casanova . Direitos Autorais Reservados ao autor. Estão proibidas as cópias, colagens, divulgação em qualquer meio ou reprodução de qualquer natureza, do todo ou parte desta obra , sem a autorização expressa do autor sob pena de transgressão ás Leis Brasileiras e Internacionais de Proteção aos Direitos Intelectuais. O desrespeito implicará na aplicação das Sanções Penais cabíveis de acordo com a Legislação em vigor.

Atenção: Nosso Blog utiliza cookies que você precisa ativar para o melhor funcionamento de serviços como Google Analytics e Adsense. Estamos informando em cumprimento ás exigências legais da União Européia.

......................................................................................................................................

Right | The legitimacy of the shares. [Tony Casanova]

Occasionally we stop to reflect on what is right or wrong. Ask about what can and can not do, what is socially acceptable. If we observe and well deepen this issue, we see that it is much more complex than we imagine. Let us to solve some of these issues:

   What can we? Now dear, we can all we are able. We are capable of much, and we believe free will to do everything we decide.

   What should we? That is the wrong way of direction, on the one hand we all, on the other we are limited to what we do. Ai enter the ethical and moral issues that will point what is lawful or not.

   The legality of actions. Socially we live in groups and these groups are governed by Terms Constitutional, so there is a set of rules that indicate what is legal or not. All belonging to the same social group are governed by these rules.
   
   The Lawful and Illicit. There are rules governing ethics and morality in action and together form the constitution of a country, so everyone has described their duties, rights and obligations within the Constitutional rules. The Law guarantees the legitimacy of an action by ethical and moral principles according to benefit and ensure a level playing field for all members contained there. The great paradox is the finding that not everything that is legal is legitimate and not everything that is of law is indeed.

    When we talk about society we refer to the set of individuals of the same territory, same country or even planet, given that the human species forms the largest existing society on earth and no one is a citizen, if not the world. Let us return to the original question, what we can. The Constitutions guarantee that we can all, as long as it Moral, Ethics and legally correct. It Laws aimed at guaranteeing the rights of an individual without that exceed the law of another, even our freedom of will is limited because it must be legitimized by the Constitution that governs us.

    The knowledge of our Rights, Duties and Obligations gives us the tools to commit politically correct actions, free of infractions and distant punishments. It is the function of Justice, through the Federal Constitution, judge, convict or acquit, sentencing or release those who have infringed or are suspected or accused of offenses against these rights. There is a Bible verse wide depth on this question says. "Everything is lawful for you, but not everything is beneficial to you" The phrase, applied in a very correct way, serves as a mirror for the entire human society, from small individual groups to society as a whole. In any social environment there is freedom of action, since it is convenient, since the power we have is limited to the right granted to the other.

   It is our responsibility not only know our rights, but also know and respect the Law Collective. We can not possibly forget that the guarantee of the rights of a citizen is granted to him after the fulfillment of their duties and obligations.

    Text writer Tony Casanova. Copyright reserved to the author. Prints, collages, disclosure or reproduction in any medium whatsoever, of all or part of this work without the express permission of the author under penalty of transgression ace Brazilian law and International Protection to Intellectual Rights are prohibited. Failure to comply will result in the application of appropriate criminal penalties in accordance with the legislation in force.

    Please note: Our Blog uses cookies you must turn to the better functioning of services such as Google Analytics and Adsense. We are informing in compliance with legal requirements of the European Union.

..................................................................................................................................

Derecho | La legitimidad de las acciones. [A Tony Casanova]

De vez en cuando nos detenemos a reflexionar sobre lo que está bien o mal. Pregunte acerca de lo que puede y no puede hacer, lo que es socialmente aceptable. Si observamos y así profundizar en este tema, vemos que es mucho más compleja de lo que imaginamos. Vamos a resolver algunas de estas cuestiones:

   Lo que podemos? Ahora querido, podemos todos somos capaces. Somos capaces de mucho, y creemos que la libre voluntad de hacer todo lo que decidamos.

   Lo que deberíamos hacerlo? Ese es el camino equivocado de dirección, por un lado, que todos, por el que estamos limitados a lo que hacemos. Ai Introduce las cuestiones éticas y morales que señalan lo que es legal o no.

   La legalidad de las acciones. Socialmente vivimos en grupos y estos grupos regimos por Términos Constitucionales, así que hay un conjunto de reglas que indican lo que es legal o no. Todo perteneciente al mismo grupo social se rigen por estas normas.
   
   El Legal y Ilícito. Hay reglas que rigen la ética y la moral en la acción y juntos forman la constitución de un país, por lo que todo el mundo ha descrito sus deberes, derechos y obligaciones dentro de las normas constitucionales. La Ley garantiza la legitimidad de una acción por principios éticos y morales de acuerdo con los beneficios y garantizar la igualdad de condiciones para todos los miembros que figuran allí. La gran paradoja es la constatación de que no todo lo que es legal es legítimo y no todo lo que es de la ley es, en efecto.

    Cuando hablamos de sociedad nos referimos al conjunto de individuos de un mismo territorio, de un mismo país o incluso planeta, dado que la especie humana constituye la mayor sociedad existente en la tierra y nadie es un ciudadano, si no del mundo. Volvamos a la pregunta original, lo que podemos. Las Constituciones garantizar que todos podemos, siempre y cuando Moral, Ética y legalmente correcta. It leyes encaminadas a garantizar los derechos de un individuo sin que exceda la ley de otro, incluso nuestra libertad de la voluntad es limitada, ya que debe ser legitimado por la Constitución que nos rige.

    El conocimiento de nuestros derechos, deberes y obligaciones nos da las herramientas para cometer acciones políticamente correctos, libre de infracciones y sanciones distantes. Es la función de Justicia, a través de la Constitución Federal, el juez, condenar o absolver, condenar o liberar a quienes han infringido o son sospechosos o acusados ​​de delitos contra estos derechos. Hay una gran profundidad versículo de la Biblia sobre esta cuestión dice. "Todo es lícito, pero no todo es beneficioso para usted" La frase, se aplicarán de manera muy correcta, sirve como un espejo para toda la sociedad humana, desde pequeños grupos individuales a la sociedad en entero. En cualquier entorno social hay libertad de acción, ya que es conveniente, ya que el poder que tenemos es limitado al derecho otorgado al otro.

   Es nuestra responsabilidad no sólo conocer nuestros derechos, sino también conocer y respetar el Derecho Colectivo. No podemos olvidar que la garantía de los derechos de un ciudadano se le otorga por el cumplimiento de sus deberes y obligaciones.

    Escritor del texto de Tony Casanova. Derechos de autor reservados al autor. Estampas, collages, divulgación o reproducción en cualquier medio que sea, de la totalidad o parte de este trabajo sin el permiso expreso del autor, bajo pena de la ley brasileña as transgresión y la Protección Internacional de los Derechos Intelectuales están prohibidos. El incumplimiento dará lugar a la aplicación de sanciones penales correspondientes, de conformidad con la legislación vigente.

    Tenga en cuenta: Nuestro blog utiliza cookies debe acudir a un mejor funcionamiento de los servicios tales como Google Analytics y Adsense. Nos informamos en cumplimiento de los requisitos legales de la Unión Europea.

Seguidores do Google