Arte | A dureza da vida de artista. [Tony Casanova]


Muita gente ainda me pergunta porque, na minha opinião, os livros e suas publicações custam tão caros no Brasil. Eu não tenho outra explicação a dar senão citar alguns fatos que, a priori, podem ser desagradáveis de serem lidos, mas que podem ser constatados in loco por todos nós. Primeiro o Brasil, através das suas autoridades não se importam com a Arte e a Cultura. Não há o devido cuidado com a Memória ou as tradições culturais no País. Podemos perceber este descaso se observarmos que o número de Teatros brasileiros é desproporcional ao seu número de habitantes. Na mesma linha seguem as salas de cinema, que hoje são exploradas por grupos exclusivos, não havendo mais cinemas populares nos bairros.
As administrações públicas investem e mal, em praças que abrigam marginais, mas privam a população dos espetáculos circenses. Obviamente que não estou aqui a defender a volta dos antigos circos que escravizavam animais para com eles amealhar dinheiro, mas que as autoridades cedessem espaços para acrobatas, malabares, ilusionistas e palhaços. Infelizmente o número de galerias públicas para exposições de artes é ínfimo. Também é parco o número de Museus , de parques de diversões e afins. Não digo isso falando das grandes metrópoles, mas a nível nacional. Quanto empregos diretos e indiretos seriam gerados a partir dos investimentos nestas áreas? Em números qual seria a arrecadação de renda com isso? Infelizmente as autoridades estão mais voltadas aos esportes como o futebol cuja renda fica nas elites e nos bolsos do próprio governo. Investe-se em esporte de mídia onde aquilo que é investido é segredo e aquilo que é arrecadado é um enigma.
A arte popular, trabalhos como os de artesãos, de gente que produz confecções, peças e utensílios, adornos não tem espaço de valorização dos seus artistas. Artes como a música, a literatura, pintura e escultura não são valorizados senão através da mídia , foram-se os festivais públicos e voltados aos talentos anônimos por que não há iniciativa do governo que lhes garanta a saída do anonimato. Com todos estes perrengues e empecilhos criados por um governo que não dá a mínima para a arte e a cultura nacional, porque a publicação de livros seria barata? Vender livro no Brasil é tão árduo e difícil quanto produzi-lo e publicá-lo. Ora, se a saúde, a educação, a segurança pública e o saneamento básico não tem do governo a valorização que precisam, porque a literatura teria? É óbvio que não!
Quando questionados, os responsáveis por estas áreas alegam que há outras prioridades no País que não a Arte e a Cultura, mas vamos então lembrar a estas pessoas, que por sinal são técnicos e doutorados, bem mais preparados que eu, aqui posicionado como leigo, se a arte e a cultura fossem colocados no País como fonte geradora de emprego e renda, esta arrecadação dos Estados e Municípios, inclusive da União, não poderia ser usada para as tais prioridades de que tanto se fala? Um País que arrecada Trilhões em tributação e não sabe onde põe o dinheiro, aliás nós, o povo, é que não sabemos, mas que alega não ter verbas para dar uma remuneração digna para seus aposentados, seus trabalhadores como médicos, professores, policiais e outras classes de servidores públicos e privados, poderia então investir na arte e na cultura?
Livros no Brasil são caros para editar, publicar e divulgar e ainda mais caros para se comprar. Dizem que a culpa é da Era da Informação, mentira! Sempre foi assim mesmo antes da expansão da internet e dos E-books, que por sinal neles os artistas também são alvo da exploração da parte das editoras. A arte tornou-se algo estritamente comercial e objeto de exploração dos grandes grupos e se antes descrevíamos as artes como sete, incluindo o cinema, hoje arte é só televisão, cinema e teatro. Outras manifestação são totalmente dependentes do difícil apoio da mídia e sem a devida atenção do governo.

Texto do escritor Tony Casanova . Direitos Autorais Reservados ao autor. Estão proibidas as cópias, colagens, divulgação em qualquer meio ou reprodução de qualquer natureza, do todo ou parte desta obra , sem a autorização expressa do autor sob pena de transgressão ás Leis Brasileiras e Internacionais de Proteção aos Direitos Intelectuais. O desrespeito implicará na aplicação das Sanções Penais cabíveis de acordo com a Legislação em vigor.
.....................................................................................................................................

Art | The hardness artist's life. [Tony Casanova]

Many people still ask me why, in my opinion, books and publications cost so expensive in Brazil. I have no other explanation but to name a few facts that a priori can be unpleasant to be read, but can be observed in situ by all of us. First Brazil, through its authorities do not care about Art and Culture. There is no proper care of the memory or the cultural traditions in the country. We can see this disregard if we note that the number of Brazilians Theatres is disproportionate to its population. In the same vein follow the cinemas, which today are run by cliques, with no more cinemas in popular neighborhoods.
    Public administrations invest and bad in places that harbor marginal, but deprive the population of circus shows. Obviously I'm not here to advocate the return of the ancient circuses that enslaved animals towards them amassing money, but the authorities cede space for acrobats, jugglers, magicians and clowns. Unfortunately the number of public galleries for art exhibitions is negligible. It is also sparing the number of museums, amusement parks and the like. I say this not speaking of large cities, but nationally. The direct and indirect jobs would be generated from the investments in these areas? In numbers which would be the collection of income from it? Unfortunately the authorities are more geared to sports like football whose income is in the elites and the government's own pockets. Invests in media sport where what is invested is secret and what is collected is an enigma.
    Folk art, works such as artisans, people who produces clothing, accessories and utensils, ornaments has no value space of its artists. Arts such as music, literature, painting and sculpture are not valued only through the media, we were up public and geared to anonymous talents festivals because there is no government initiative which guarantees them the output of anonymity. With all these hassles and obstacles created by a government that does not care for art and national culture, for the publication of books would be cheaper? Selling book in Brazil is so arduous and difficult as producing it and publish it. But if health, education, public safety and sanitation has no government appreciation they need, because literature have? Obviously not!
    When asked, those responsible for these areas claim that there are other priorities in the country other than the Art and Culture, but let's remind these people, who by the way are technical and doctorates, and more prepared than I am, here positioned as a layman, if art and culture were placed in the country as a source of employment and income, this collection of states and municipalities, including the EU, could not be used for such priorities is so much talk? A country that collects Trillions in taxation and not know where to put money, in fact we the people, do not know, but who claims to have no money to give adequate remuneration for their retirees, their workers such as doctors, teachers, police and other classes of public and private servers could then invest in art and culture?
    Books in Brazil are expensive to edit, publish and disseminate and even more expensive to buy. They say it is the fault of the Information Age, lie! It has always been so even before the expansion of the Internet and E-books, by the way them artists are also the subject of exploitation by publishers. Art has become something strictly commercial and object of exploitation of large groups and before we described the arts as seven, including film, art today is just television, film and theater. Other manifestations are totally dependent on the support of the media and difficult without proper government attention.

       Text writer Tony Casanova. Copyright reserved to the author. Prints, collages, disclosure or reproduction in any medium whatsoever, of all or part of this work without the express permission of the author under penalty of trespass ace Brazilian law and International Protection to Intellectual Rights are prohibited. Failure to comply will result in the application of appropriate criminal penalties in accordance with the legislation in force.

.................................................................................................................................

Arte | La vida del artista dureza. [A Tony Casanova]

Mucha gente todavía me pregunta por qué, en mi opinión, los libros y las publicaciones cuestan tan caro en Brasil. No tengo otra explicación, pero por nombrar algunos hechos que a priori puede ser desagradable para ser leído, pero se puede observar in situ por todos nosotros. Primero Brasil, a través de sus autoridades no se preocupan por Arte y Cultura. No hay cuidado apropiado de la memoria o las tradiciones culturales en el país. Podemos ver esto desprecio si tenemos en cuenta que el número de Brasileños Teatros es desproporcionada en relación con su población. En el mismo sentido seguir los cines, que hoy están a cargo de las camarillas, sin más salas de cine en los barrios populares.
    Las administraciones públicas invierten y lo malo en los lugares que albergan marginal, pero privan a la población de los espectáculos de circo. Obviamente, yo no estoy aquí para defender el regreso de los antiguos circos que esclavizan animales hacia ellos amasar dinero, pero las autoridades cedo espacio para acróbatas, malabaristas, magos y payasos. Por desgracia, el número de galerías públicas para exposiciones de arte es insignificante. También se escatima el número de museos, parques de atracciones y similares. Digo esto sin hablar de las grandes ciudades, sino a nivel nacional. Los puestos de trabajo directos e indirectos se generan a partir de las inversiones en estas áreas? En números, que sería el cobro de los ingresos de ella? Desafortunadamente las autoridades están más orientados a los deportes como el fútbol cuyos ingresos son en las élites y los bolsillos del gobierno. Invierte en el deporte, donde los medios de comunicación lo que se invierte es secreto y lo que se recoge es un enigma.
    El arte popular, obras como artesanos, gente que produce ropa, accesorios y utensilios, adornos no tiene espacio valor de sus artistas. Artes, como la música, la literatura, la pintura y la escultura no se valoran sólo a través de los medios de comunicación, nos levantábamos pública y orientado a talentos anónimos festivales porque no hay una iniciativa del gobierno que les garantiza la salida del anonimato. Con todos estos problemas y obstáculos creados por un gobierno que no se preocupa por el arte y la cultura nacional, para la publicación de libros sería más barato? La venta de libros en Brasil es tan ardua y difícil, ya que la producción y publicarlo. Pero si la salud, la educación, la seguridad pública y el saneamiento tiene ningún aprecio del gobierno que necesitan, porque la literatura tiene? Obviamente que no!
    Cuando se le preguntó, a los responsables de estas áreas afirman que hay otras prioridades en el país que no sea el de Arte y Cultura, pero recordemos estas personas, que por cierto son técnica y doctorados, y más preparado que yo, aquí posicionado como laico, si el arte y la cultura se colocaron en el país como una fuente de empleo e ingresos, esta colección de estados y municipios, incluida la UE, no se podía utilizar para tales prioridades es que tanto se habla? Un país que recoge billones en impuestos y no sabe dónde poner el dinero, de hecho nosotros, el pueblo, no lo sé, pero ¿quién dice no tener dinero para dar una remuneración adecuada por sus jubilados, a sus trabajadores, tales como médicos, maestros, policías y otras clases de servidores públicos y privados a continuación, podrían invertir en el arte y la cultura?
    Libros en Brasil son caros para editar, publicar y difundir e incluso más caro para comprar. Ellos dicen que es culpa de la era de la información, miente! Siempre ha sido así, incluso antes de la expansión de Internet y E-libros, por cierto les artistas también son objeto de explotación por parte de los editores. El arte se ha convertido en algo estrictamente comercial y el objeto de la explotación de los grandes grupos y antes describimos las artes como siete, incluyendo el cine, el arte de hoy es sólo la televisión, el cine y el teatro. Otras manifestaciones son totalmente dependientes de la ayuda de los medios de comunicación y difícil sin la atención del gobierno apropiado.

       Escritor del texto de Tony Casanova. Derechos de autor reservados al autor. Estampas, collages, divulgación o reproducción en cualquier medio que sea, de la totalidad o parte de este trabajo sin el permiso expreso del autor, bajo pena de la ley brasileña as por la culpa y la Protección Internacional de los Derechos Intelectuales están prohibidos. El incumplimiento dará lugar a la aplicación de sanciones penales correspondientes, de conformidad con la legislación vigente.

Seguidores do Google