Uma gata sem preconceito.

Quem cria um animal de estimação se surpreende com a amabilidade e a carência destes bichos e se for uma gatinha então, meu Deus! Como são meigas e carinhosas, afetivas e apegadas a seus donos. Agora vou relatar como descobri que a minha gatinha Duda, esta da foto, não tem preconceito. Imagine voces que a Dudinha, como a chamo carinhosamente, é jovem e já araanjou dois, isto mesmo, dois namorados. Danadinha ela. Aquela carinha de mimo, meau pra lá, meau pra cá e me aparecem dois gatões lindos namorando a minha "menina". Agora o detalhe: Um gato é preto e o outro branco, não é o máximo? Ela não tem preconceito. Se ela fosse humana..., sei não. O mais interessante é que os gatos não são ricos, não tem carro e não trabalham. Ah, também não são de boa família viu, hehehehehehe. A verdade é que Dudinha deu a luz, sim deu a luz, que foi? Isso mesmo, deu a luz a cinco gatinhos lindos. Infelizmente ela foi atropelada por uma moto durante a gestação, período próximo da paridura e perdeu alguns filhotes, mas manteve-se firme ali, dando a luz a cinco, dos quais três vieram a óbito, que foi? Isso mesmo, vieram a óbito. Mais um detalhe, dos tres filhotes restantes, um é pretinho, outro malhado e outro branquinho. Mas a Duda trata todos por igual e os gatões estão sempre por perto, protegendo e amparando suas crias sem ciúmes um do outro ou olhares atravessados para ela. Não é um barato isso? Não há preconceitos. Mas se ela fosse humana...

Seguidores do Google