Roda Cultural entrevista a Pedagoga Maria Oliver.


Aos doze anos de idade,a jovem Maria Oliver descobriu-se apaixonada pela profissão do ensino,tendo anos mais tarde formado-se e hoje com 17 anos de profissão,declara-se uma amante da arte pedagógica. Anos de muita luta e persistência finalmente realizou seu sonho de tornar-se pedagoga. Roda Cultural entrevistou a Professora Maria Oliver.

RC - Quanto tempo de profissão profesora?

MO - 17 ANOS.

RC - Vocacionada?

MO - Sim.

RC - Quando descobriu esta vocação para a pedagogia?

M0 - Aos doze anos. Percebi e lutei muito para chegar ao meu objetivo.

RC - Trabalhou só neste área?

MO - Não, passei por diversos setores até chegar a ser professora efetiva, durante 5 ANOS fui professora eventual substituindo professores efetivos. Antes disso tive que cursar o colegial e fazer o magistério e só após a faculdade de pedagogia, onde em 2005 me formei.

RC - Começou lecionando que turmas Maria Oliver?

MO - Fundamental, uma quarta série. Foi a realização de um sonho que me deixou muito feliz. Eu tinha uma sala e alunos meus, foi uma época muito boa e até hoje quando um ex-aluno me reconheçe eu me sinto gratificada.

RC - Voce dá aula para crianças também?

MO - Sim, após a minha primeira turma, quando tudo melhorou, fiz uma pós-graduação em educação infantil.

Rc - Voce é professora concursada?

MO - Sim, em 2008 prestei concurso público e fui aprovada. No dia não sabia se sorria ou chorava, foi uma sensação ótima.

RC - Sente-se realizada professora Maria Oliver?

MO - Sim, muito. Amo dar aulas aos pequenos, sinto-me triste quando chega o final das aulas e temos que nos separar, mas logo chega uma nova turma e volto a me animar com eles.

RC - Suas considerações finais sobre a profissão de pedagoga infantil.

MO - Trabalhar com crianças exige além da formação. Voce percebe a dependência dos alunos até para amarrar o cadarço dos sapatos, sem falar em tantos outros cuidados, então é uma profissão que exige muito amor e muita entrega do profissional. Soma-se a tarefa do professor, educador e pais ou mães ao mesmo tempo. Algo que realmente ensina-nos a viver e a amar, a dedicar-se cada vez mais á profissão e aos pequenos alunos.

Por Tony Casanova - Direitos Autorais e Copyright reservados ao autor.

Seguidores do Google