Gravidez precoce - E agora?


Gravidez+Precoce+e+agora
Este não é um assunto atual, muito menos um assunto inerente apenas aos brasileiros. Dada a importância do tema, irei abordá-lo como sempre faço, com muito respeito. Jovens em todos os cantos do mundo sofrem com a questão da gestação indesejada, mas tudo fica pior quando o "pai" não assume o compromisso e abandona a parceira. Quando digo que este problema não diz respeito apenas ao Brasil é porque mesmos os Países mais desenvolvidos encontram dificuldades em lidar com esta situação. Como impedir os jovens de iniciarem sua vida vida sexual precocemente sem os devidos cuidados para evitar uma gravidez acidental? Várias autoridades mundiais investiram nas campanhas de educação dos jovens. O assunto chegou até as escolas, virou polêmica e ao que parece não deu certo. O papel da preparação dos filhos para uma iniciação sexual e seus cuidados e riscos é cabível aos pais, mas a tarefa parece não ser das mais agradáveis. O que dizer ás nossas crianças que estão praticamente na puberdade e já sofrem as pressões do mundo moderno para a iniciação sexual precoce? Ou melhor, como detê-los? A priore, melhor não detê-los. Este processo faz parte do ciclo de vida das crianças, portanto a melhor saída é o diálogo. Mas antes de você pai, você mãe, sair dizendo de tudo para seu filho(a), vamos a algumas questões fundamentais sobre as relações humanas:

- Homem x Homem e Mulher X Mulher . Não é regra, mas é certo e sabido que mulheres sentem-se mais á vontade falando sobre problemas íntimos com mulheres e os homens preferem os homens, assim vale a dica para respeitar esta condição a menos que não seja possível.

- O primeiro diálogo deve ser entre os adultos. Esta é uma ótima maneira de ambos abordarem questões importantes e a melhor maneira de educar os filhos. Os pais conversam entre si antes de conversarem com o(s) filho(s).

- Cuidado com aquilo que dizem. Nem sempre falar das próprias experiências ou dos erros alheios é o melhor caminho. Existem algumas práticas passadas que podem trazer efeito contrário se forem dadas como exemplo para os filhos.

- Evite o uso de linguagem chula; lembre-se de que são seus filhos e eles estão sendo educados por você, por isso cumpra seu papel de educador com ética e respeito.

- Leia, pesquise, estude as questões que irá abordar durante a conversa. Quanto mais inteirado sobre o assunto, melhor você se sairá.

Saindo da abordagem preventiva, suponhamos que já não haja o que ser feito para evitar a gravidez. O que fazer? Bem, agora que tudo aconteceu a primeira coisa a ser feita é assumir: Você será avô ou avó e quando referir-se a sua filha, respeite-a como mãe do seu neto. O bebê existe e ponto. O que tem a ser feito é providenciar para que tudo corra bem e sua criança torne-se mãe dentro das melhores condições de pré-natal que houver. Crianças não pedem para nascer e precisam ser amadas. Aproveite para amar as duas crianças que possui; sua filha e o neto(a). Fazer questionamentos, promover discussões ou cobranças só irá piorar as coisas. Ainda que não tenha pai que a assuma, mostre que a criança tem avós que irão assumi-la. E para que não se pense que esqueci dos homens que engravidam mocinhas,a melhor atitude é assistir a gestante como se amparasse uma filha, afinal ela é a mãe do seu neto ou da sua neta. No mais, volte-se para os que chegam e que sejam bem vindos. Aos pais, fica a lição de que a sexualidade deve ser vivida, mas existe a responsabilidade que cada um irá arcar por uma iniciação desastrosa.

Texto do Escritor Brasileiro Tony Casanova - Direitos Autorais Reservados ao autor. Proibida a cópia, colagem, divulgação ou reprodução de qualquer espécie ou em qualquer meio sem autorização expressa do autor sob pena de infração ás Leis Brasileiras de Proteção aos Direitos Autorais.
Copy Right 2014 By Brazilian Writer Tony Casanova - All Rights Reserved.

Seguidores do Google