A irresponsabilidade dos Racionais. [Tony Casanova]


Muitas pessoas ainda se assustam quando ouve um Antropólogo falar do Homem de uma forma pouco usual, mais técnica. Na verdade nos condicionamos a nos ver mais como seres superiores e não como animais. De acordo com os estudos, três homens formam um só; O homem enquanto Ser, o Homem enquanto indivíduo e o Homem enquanto Cidadão. Semelhante a todos os animais, ou pelo menos a maioria deles, o Ser Humano origina-se a partir da união de outros dois, sendo assim parte de ambos e juntos, formam um elo, uma célula chamada família. A família se constitui do triângulo formado por indivíduo pai, mãe e filho. Forma-se então o bando. Habitualmente o Ser Humano vive em bandos e existem em um território, vários bandos que o ocupam, ou seja, diversas famílias. Durante sua existência, cada indivíduo de cada família, passa a integrar novos bandos como amigos, colegas de trabalho, de escola, enfim. São grupos formados por indivíduos de outras famílias que se integram em novas alianças. Observando assim percebemos que o Ser Humano é uma espécie bastante sociável. É fácil sentir no Homem a necessidade de interagir em novos bandos, de sociabilizar-se com eles.
Diversas espécies não racionais também tem a mesma necessidade desta integração. O certo é que nós muitas vezes repudiamos a palavra “Animal” como se também não o fossemos. Atribuímos esta palavra para “Seres Irracionais”. Esta atitude porém não nos exime desta condição e continuamos a ser “Animais Racionais”. Inteligentes, sim, mas não somos os únicos. Pertencemos à cadeia animal do Planeta, nela a única coisa que nos distingue, que nos diferencia dos demais é o Raciocínio. Importa saber que possuir Raciocínio não nos torna melhores nas ações, pelo contrário, muitas ações humanas vem causando destruição faz séculos. O Homem infelizmente tem usado sua capacidade de inteligir de forma irresponsável com o Planeta e condena todos os indivíduos a sofrer as consequências. Ficamos então imaginando como se definir como sendo um Ser inteligente, superior e continuar destruindo o próprio Planeta por causa de dinheiro. Não gostamos de ser chamados de “Animais”, mas seria muito saudável se tivéssemos nos animais que destruímos, o exemplo de como viver em bandos, de como construir e conservar uma célula familiar, de como viver em sociedade.
Dizer que não somos culpados é absurdamente mentiroso da nossa parte. A quem atribuiremos a culpa pela poluição, pela devastação das matas, dos mares, das espécies da fauna e da flora, aos animais? Que espécie de Animal seria capaz de destruir o próprio habitat? Somos inteligentes o suficiente para sabermos a resposta. Se somos capazes de saber o que há de errado porque não consertamos? É triste constatarmos que infelizmente grande parte do que foi destruído não pode ser recuperado, mas ainda resta outra parte e se não fazemos muito é porque sabemos que teremos que abrir mão de muita coisa para que tudo dê certo. Não há vontade de mudanças porque mudar seria perder e nós sabemos que Seres Superiores não perdem nunca! Ou pelo menos não desejam perder. Tudo tem que ser segundo suas vontades, seus desejos, suas ambições, nem que para isso tenham que destelhar a própria casa, incendiá-la, matar os familiares, destruir tudo.
Quantas espécies deixaram de existir por responsabilidade nossa? Quantos desertos surgiram, quantos ainda irão surgir? Quantos rios secarão, quantas matas darão lugar a descampados, quantos filhotes morrerão? Travamos uma batalha contra nós mesmos, queremos viver bem e melhor, mesmo que custe a vida da nossa Fauna, da nossa Flora. Lógico que somos inteligentes, vamos viver de proferir lindos discursos, promover encontros, tratados e reuniões que não resultam em nada! Vamos ficar culpando a “Natureza” pelas enchentes, pelos Tsunamis, Furacões e Terremotos que ocorrem no Planeta. Afinal não é nossa culpa, tudo isso é um fenômeno natural, nada podemos fazer a não ser criar abrigos. Mas o Progresso não pode parar. As mansões invadem áreas de rios, de mar, derruba-se mata para construir luxuosos hotéis, rouba-se madeira para o comércio de móveis, queima-se mata para plantar, regiões de serra viram flats de luxo, sobrados e pousadas, mata-se animais pelo prazer da caça e do comércio de peles, enfim somos Racionais. Então digo: “Ser, ou não Ser, eis a questão.” (William Sahakespeare).
Texto do escritor brasileiro Tony Casanova . Direitos Autorais reservados ao autor. Proibida a cópia, colagem, reprodução de qualquer natureza ou divulgação em qualquer meio, do todo ou parte dele, sem autorização expressa do autor, sob pena de infração ás Leis Brasileiras e Internacionais de Proteção aos Direitos Autorais.

Seguidores do Google