O amor é assim... [Tony Casanova]


Explicar o amor é coisa para quem tem tempo a perder, melhor é vivê-lo que explicá-lo! Amar é um dos atos mais inexplicáveis que existe, algo como experimentar um salto de paraquedas e apostar que ele irá abrir quando precisar. Adrenalina pura! Amor é aquela coisa louca descendo a ladeira e ninguém segura. Um turbilhão de acontecimentos movendo outros, nos fazendo desfazer o que foi feito e inventar modismo. O amor é assim, sem que, nem pra que, que a gente não quer e quer, que a gente foge, mas para pra ver.
Talvez eu esteja sendo filosófico demais na descrição do amor, mas como descrever algo que a gente não vê, nem sabe se tem cor? Como explicar algo que nasce tão pequenino e se agiganta no peito, que nos cativa e nos deixa assim, tipo, sem jeito? O amor é inexplicável mesmo e só tenta explicá-lo aqueles que amam em tentativas vãs, explicam, explicam, mas se enganam. Difícil explicar que nós queremos aquilo que dizemos não querer. Que desejemos aquilo que dizemos repudiar e que façamos aquilo que confessamos: Nunca iremos fazer.
Mesmo quem já amou e já sofreu desilusões dolorosas, decepções incríveis, sente em um novo amor um bálsamo até que as feridas cicatrizem. O amor acontece mesmo sem querer, igual a piaba em tarrafa de malha fina, não se foge dele, estamos amando de novo assim que a noite termina. Mas ainda assim, há quem pense que o amor nos faz mal. Engano de quem assim pensa, pessoas agem mal, o amor não. Pessoas mentem, iludem, brincam com sentimentos, mas o amor é firme, não é ingrato, não é egoísta, não é ciumento, pessoas sim, agem assim, o amor não.
Há quem culpe o amor por tudo, mas quando não dá certo é porque dedicou-se o amor à pessoa errada, acreditou-se no amor de palavras e esqueceu-se do amor atitudes. Há quem viva o amor em todo seu extrato, em toda sua plenitude. Pessoas que aprenderam a exercitar tolerância, perdão, fé, coragem, respeito, dedicação e generosidade. Pessoas que também tiveram percalços como mágoa, saudade e dor, mas que souberam aguardar o tempo e a hora da ação do amor. Quando estamos amando vivemos um período de aprendizado onde somos a todo momento provados e em muitos não conseguimos entender o que se passa, mas temos várias chances de continuar tentando, vivendo, aprendendo e amando, contando com o perdão da sua graça.
Amar não é entregar-se ao sofrimento, pelo contrário, é obter dele o aprendizado que o evitará no futuro. Amar é optar pelo caminho claro, evitar o caminho escuro da vida. O amor não é a razão do sofrimento, o amor é a cura dele. O amor nos enche de poderes para enfrentar problemas, vencê-los e nos ajuda a prevenir contra outros males. Ele é livre, nãos nos pertence, mas pertence a quem amamos. Se amamos a nós mesmos por demais, não podemos amar ao outro, isto porque o amor não se divide, não é algo quebrável, que se tenha nas mãos. Ao amarmos o outro abrimos mão de nós mesmos, mas ao mesmo tempo estaremos nos amando. Amar é saber que se temos, temos que dar e se damos, iremos receber, mas se não tivermos para dar ou não dermos o que temos, estaremos fadados a morrer de amor por nós mesmos.

Texto do escritor brasileiro Tony Casanova. Direitos Autorais Reservados ao autor. Está proibida a cópia, colagem, divulgação em qualquer meio ou reprodução de qualquer natureza do todo ou parte dele sem autorização expressa do autor sob pena de infração ás Leis Brasileiras e Internacionais de Proteção aos Direitos Autorais.

Seguidores do Google