Quem sou eu para você?


Esta é uma boa pergunta e só você tem a resposta para ela, eu apenas me resumo a dizer o que eu gostaria de ser para você. Nestes anos todos em que escrevo venho me dedicando a poesias, poemas e escritas do gênero, mas depois que comecei a publicar na Internet, percebi que havia uma necessidade maior que apenas estas. Analisando o perfil daqueles que estavam convivendo comigo na Rede, fui descobrindo uma utilidade para meus textos. Encontrei pessoas sedentas de ler suas dúvidas, de encontrar-se em leituras, de descobrir-se nelas. Abracei a causa e as pessoas. Senti o quanto aquelas pessoas precisavam daquele abraço amigo, do calor nas palavras. Comecei a estudar, pesquisar comportamentos, situações comuns, dramas familiares.
Havia um leque enorme de leitores magoados, sofrendo, procurando respostas, mas sem saber onde. Eu abri as páginas e de início fui muito suave nas abordagens. Foi quando um tema que abordei teve o maior número de acessos de todas as postagens. Até hoje a matéria é imbatível. Percebi a importância, o peso da responsabilidade naquelas abordagens. A partir dali meu senso ético reforçou-se, passei a ter mais cautela e carinho nas pesquisas. Dediquei-me ainda mais a descobrir temas e artigos interessantes. Foram surgindo cada vez mais leitores, pessoas de diversas partes do mundo.
Se antes eu já tinha o compromisso de ser ético, responsável e prudente, diante da nova responsabilidade passei a ser mais. Quando abordo um temas como “Relacionamentos” faço-o como alguém que respeita a opinião do leitor e o assunto é exposto de forma que ele tenha liberdade total para refletir sobre a questão. Sempre utilizo a linha lógica do pensamento, sem entrelinhas, em linguagem clara e específica para evitar mal entendidos ou má-interpretação. Os pontos de vista são sempre envoltos em coerência, sensatez e principalmente lucidez. Não são textos para acusação, julgamento ou mesmo injúria, mas para reflexão daqueles que buscam respostas sem opiniões tortuosas, maquiadas ou carregadas do veneno das mágoas pessoais. De forma alguma você encontrará nos meus textos a inquisição, a censura ou a tosa de qualquer direito individual do leitor.
Creio que vários leitores perceberam a minha forma particular de respeitá-los, a maneira carinhosa como os abracei e os trato. Na sua maioria, sinto que também me abraçam, me acolhem e tornam verdadeira a recíproca do carinho que recebem. Por isso abri o título “O que eu sou para você? Não posso obviamente dar a resposta, mas se vocês me perguntassem o mesmo eu diria que vocês para mim são mais que amigos, são irmãos, pessoas que como eu lutam em busca de melhorar suas vidas, torná-las útil, fazer o melhor que podem nesta existência. Como eu vocês também precisam de colo, de abrigo, de calor humano, de solidariedade. Para isto estou aqui, oferecendo meu ombro de escritor, abordando temas úteis para vocês, tratando-os com o devido respeito e sempre aberto, peito e braços para acolhê-los como amigos.
Desde 1976 desenvolvo a escrita, estudo temas, pesquiso técnicas, absorvo tudo que possa der transformado em matérias produtivas para vocês, meus leitores. Não sei ao certo quantos leitores tive ao longo da carreira, mas sei que não foram poucos. Os números não são importantes, nada é mais importante que a sede de vocês e a água que ofereço, água esta que serve certamente não só para saciar sua sede, mas principalmente a minha. Este sou eu, Tony Casanova, um amigo, um irmão, alguém que escreve para vocês e tem o compromisso de levar adiante este trabalho até que não haja mais condições. Um forte abraço, beijo no coração e até a próxima.

Seguidores do Google