A dinâmica das relações 2 [Tony Casanova]


É possível, melhorarmos nossos relacionamentos entendendo sua dinâmica e alterando o conjunto de ações que podem resultar em mudanças nocivas a ele. Toda relação baseia-se no respeito e na confiança mútua, na dedicação, no compromisso e responsabilidade de cada um para com o outro. Pequenos gestos nestes momentos são muito importantes para a construção de um bom relacionamento e por serem assim, trazem um enorme benefício para os envolvidos. É no início que nos compromissamos, nos propomos ao outro e a manutenção deste compromisso inicial é vital para qualquer relacionamento. Na Dinâmica das Relações estão presentes estes pequenos gestos de gratidão, de carinho, de amor mesmo. Coisas pequenas como um afago no rosto, um beijo ou um selinho, “Eu te amo” pela manhã, à tarde e a noite, declarações da importância do outro, reatamento diário do compromisso. Também valem as questões mais práticas como ajudar nas tarefas diárias de casa, demonstrações de preocupação com o estado de saúde do outro, coisas do tipo.
Muitos relacionamentos se mantém estáveis porque os casais são fiéis a estes compromissos e fazem sua manutenção diariamente, mas nem todos fazem isso. Um dia, um pequeno gesto deixa de ser feito e passa a ser esquecido para um, mas não a quem o recebia. Então outros gestos deixam de ser praticados e mais um, mais um, mais um, até que se estabelece uma nova dinâmica dentro da relação. Aquele que sofreu com as mudanças passa então a assumir novo comportamento e esta medida torna o casal ainda mais distante. As mudanças afetam os dois e mais que isso, afetam diretamente a relação. O carinho dá lugar a rispidez, as declarações agora passam a ser amargas, o que era confiança dá lugar a desconfiança. Mas como tudo isso começou? Na eliminação de um pequeno gesto, lembra? Culpa de quem, dele, dela? De ambos. Não existe a meia culpa ou a culpa de um em uma relação a dois. A culpa pertence a ambos. Cada gesto pode valorizar ou desvalorizar uma relação, pode contruí-la ou destruí-la e por isso é bom pensar naqueles gestos antigos que conquistaram o outro e recolocá-los em prática.
Uma nova tentativa pode representar algo muito difícil para muita gente, principalmente aqueles que esperam receber, mas não estão preparados para doar. Mudar de atitudes é como dar o braço a torcer, reconhecer diante de si mesmo e do outro que errou. Mas é assim mesmo que deve ser! Cada um deve reconhecer seu próprio erro, mas alguém precisa dar o primeiro passo. Porque ficar esperando que o outro faça isto, para humilhá-lo, inferiorizá-lo? Há um certo sentimento de desconforto quando se trata de assumir erros praticados por medo da “vingança” do outro. E ela existe em alguns casais. Muitos na tentativa de acerto metem os pés pelas mãos e acabam se engalfinhando em meios a acusações e humilhações, uma espécie de “vingança” pessoal para mostrar-se superior ao outro naquilo que sente, nos sacrifícios que fez ou nas provas que deu. Mas diante de uma situação como esta, que prova se está dando, de amor? A chave das relações está em observar o próprio comportamento e analisar se continua dando aquilo que conquistou o outro quando se conheceram.
É difícil perceber isso, mas não se prova o amor nas festas, nas comemorações, nas fanfarras, mas quando o barco está afundando. O amor está em pensar na salvação do outro antes mesmo da sua. O amor está em não abandonar o barco e largar o outro sozinho à própria sorte só porque ele está afundando. O amor está em lutar juntos para chegarem a um porto seguro. Em reconhecer que falharam, mas que irão consertar o barco juntos antes que afunde. O amor está em não ser pesado ao outro, porque mais peso afundará o barco mais rapidamente.

Texto do escritor brasileiro Tony Casanova . Direitos Autorais reservados ao autor. Proibida a cópia, colagem, reprodução de qualquer natureza ou divulgação em qualquer meio, do todo ou parte dele, sem autorização expressa do autor, sob pena de infração ás Leis Brasileiras e Internacionais de Proteção aos Direitos Autorais.

..................................................................................................................

The dynamics of relationships 2 [Tony Casanova]

It is possible, improve our relationships by understanding their dynamics and changing the set of actions that can result in harmful changes to it. Every relationship is based on respect and mutual trust, dedication, commitment and responsibility of each to the other. Small gestures in these moments are very important to build a good relationship and for being so bring a huge benefit for those involved. It is at the beginning we compromissamos, we propose to each other and to maintain this initial commitment is vital to any relationship. In Dynamics of Relationships are present these small gestures of gratitude, affection, love it. Little things like a pat on the cheek, a kiss or a peck, "I love you" morning, noon and night, declarations of the importance of other, everyday commitment resumption. Also worth the more practical issues such as help with daily tasks from home, concern statements with the health status of the other, things like that.
     Many relationships remains stable because couples are faithful to these commitments and do their daily maintenance, but not all do that. One day, a small gesture leaves to be done and becomes oblivious to one but not to those who received. So other gestures are no longer practiced and one more, one more, one more, until it establishes a new dynamic within the relationship. One who suffered with the changes then goes on to assume new behavior and this measure makes the couple further apart. The changes affect the two and more than that, directly affect the relationship. The warmth gives way to harshness, statements now become bitter, which was confidence gives way to mistrust. But how did it all begin? The elimination of a small gesture, remember? Whose fault, his, hers? Both. There is no half guilt or fault in a relationship together. The blame belongs to both. Each gesture may depreciate or appreciate a relationship, can contruí it or destroy it and so it is good to think in those ancient gestures that conquered the other and put them into practice.
     A new attempt can represent something very difficult for many people, especially those who expect to receive, but are not prepared to give. Changing attitudes is like taking the plunge, recognize before himself and others that missed. But that is as it should be! Each must recognize their own mistake, but someone must take the first step. Why be waiting for the other to do this, to humiliate him, diminishes it? There is a certain feeling of discomfort when it comes to taking errors committed by fear of "revenge" on the other. And it exists in some couples. Many in the attempt to undermine hit his foot in it and end up scrambling for ways to accusations and humiliations, a kind of "revenge" staff to prove superior to the other what he feels, the sacrifices made and the evidence he gave. But in a situation like this, which proves it is giving, of love? The key relations is to observe their behavior and analyze it keeps giving what won the other when they met.
      It is difficult to realize this, but does not prove love party, the celebrations, the fanfare, but when the boat is sinking. Love is thinking about the salvation of others before his own. Love is not jump ship and leave the other alone to fend for themselves just because it is sinking. Love is fight together to reach a safe haven. In recognizing that failed, but that will repair the ship together before sinking. Love is not heavy to the other, because more weight sink the boat faster.

      Text Brazilian writer Tony Casanova. Copyright reserved to the author. The copying, collage, reproduction or disclosure of any kind in any medium, in whole or part without the express permission of the author, under penalty of infringement ace Brazilian Laws and International Protection of Copyright.

......................................................................................................................

La dinámica de las relaciones 2 [a Tony Casanova]

Es posible, mejorar nuestras relaciones mediante la comprensión de sus dinámicas y cambiar el conjunto de acciones que pueden resultar en cambios perjudiciales para ella. Cada relación se basa en el respeto y la confianza mutua, la dedicación, el compromiso y la responsabilidad de cada uno para el otro. Pequeños gestos en estos momentos son muy importantes para construir una buena relación y por ser así que trae un gran beneficio para los involucrados. Es al principio nos compromissamos, proponemos el uno al otro y para mantener este compromiso inicial es vital para cualquier relación. En Dinámica de las Relaciones están presentes estos pequeños gestos de gratitud, afecto, me encanta. Las pequeñas cosas como una palmadita en la mejilla, un beso o un beso, "I love you" mañana, tarde y noche, las declaraciones de la importancia de la otra, todos los días reanudación compromiso. También digno de las cuestiones más prácticas como la ayuda con las tareas diarias del hogar, las declaraciones de preocupaciones con el estado de salud de los demás, cosas así.
     Muchas relaciones se mantiene estable porque las parejas son fieles a estos compromisos y hacer su mantenimiento diario, pero no todos lo hacen. Un día, un pequeño gesto deja hacer y se vuelve ajeno a uno, pero no con los que recibieron. Así otros gestos ya no se practica y uno más, uno más, uno más son, hasta que se establece una nueva dinámica dentro de la relación. Aquel que sufrió con los cambios, entonces pasa a asumir nuevos comportamientos y esta medida hace que la pareja más separados. Los cambios afectan a los dos y más que eso, afecta directamente a la relación. El calor da paso a la dureza, las declaraciones se convierten ahora en amarga, que era la confianza da paso a la desconfianza. Pero, ¿cómo empezó todo? La eliminación de un pequeño gesto, ¿recuerdas? Culpa de quién, el suyo? Ambos. No hay medio de culpa o culpa en una relación juntos. La culpa es de los dos. Cada gesto puede depreciarse o apreciarse una relación, puede contruí o destruirlo y lo que es bueno pensar en los antiguos gestos que conquistaron el otro y ponerlos en práctica.
     Un nuevo intento puede representar algo muy difícil para muchas personas, especialmente aquellos que esperan recibir, pero no están dispuestos a dar. El cambio de actitud es como dar el paso, reconocer ante sí mismo y otros que se perdieron. Pero eso es como debe ser! Cada uno debe reconocer su propio error, pero alguien tiene que dar el primer paso. ¿Por estar esperando a que el otro haga esto, para humillarlo, la disminuye? Hay una cierta sensación de incomodidad cuando se trata de tomar los errores cometidos por el temor a una "venganza" por el otro. Y existe en algunas parejas. Muchos en el intento de socavar golpeó su pie en ella y terminan luchando por obtener formas de acusaciones y humillaciones, una especie de personal "venganza" para probar superior al otro lo que siente, los sacrificios hechos y las pruebas que dieron. Pero en una situación como ésta, lo que demuestra que está dando, de amor? Las relaciones clave es observar su comportamiento y analizarlo sigue dando lo ganó el otro cuando se conocieron.
      Es difícil darse cuenta de esto, pero no demuestra partido amor, las celebraciones, la fanfarria, pero cuando el barco se hunde. El amor es pensar en la salvación de los demás antes que la suya. El amor no es abandonar el barco y dejar la otra solo para valerse por sí mismos sólo porque se está hundiendo. El amor es luchar juntos para llegar a un puerto seguro. Al reconocer esto falló, pero eso será reparar la nave juntos antes de hundirse. El amor no es pesado para el otro, debido a que más peso se hunda el barco más rápido.

      Texto escritor brasileño, Tony Casanova. Derechos de autor reservados al autor. La copia, collage, reproducción o divulgación de cualquier tipo en cualquier medio, total o parcialmente, sin el permiso expreso del autor, bajo pena de infracción as leyes brasileñas y Protección Internacional de los Derechos de Autor.

Seguidores do Google