Opinião | A cara do Brasil.


Em épocas em que se discute a crise do PT, escândalos na Petrobras, Inflação e juros, vemos o País em polvorosa. Nas esquinas é fácil ouvir os burburinhos, comentários sempre sobre os mesmos assuntos. São aulas paralisadas por conta das greves, reclamações do sucateamento de hospitais públicos, aumento na cobrança de impostos e cortes dos benefícios trabalhistas. Enfim, estamos sentados em um verdadeiro barril de pólvora cujo rastrilho nos conduz ao PT. Os partidários mais apaixonados defendem o partido, afirmam que tudo é mentira, que não passa de armação. O Governo se defende apresentando números de estatística produzidas por ele mesmo e que contraria a realidade vivida pela população brasileira. Apartidário, como sempre, mesmo antes de todos estes acontecimentos, minha visão sobre a política sempre foi recheada de nojo. Sempre achei um mar de lamas, onde aqueles que possuem boas intenções entram limpo e enterram-se até o pescoço em uma mar de corrupção. Pelo menos é o que a mídia encena e prova através das suas matérias.
Não dói mais porque estamos vivendo tudo isso, o Brasil sempre enfrentou crises, algumas bem difíceis, mas saiu-se bem de todas elas na medida do possível. Dizer que em outras épocas não havia corrupção, propinas, desvios ou subornos é mentira. O que nos dói muito é a decepção de termos votado (digo de quem votou no partido) no PT e vermos todo este lamaçal gigantesco sendo apresentado e o pior, as soluções propostas são cortes nos benefícios dos trabalhadores. Um enorme tiro no pé para um governo que conserva intocável o Bolsa Família, mas mexe nos bolsos de trabalhadores e aposentados. Nunca foi tão visível o sucateamento da Educação, com professores sendo enrolados pelos Estados em todo Brasil. A Segurança Pública inoperante com o número de assaltos, homídios e latrocínios aumentando a cada dia. A Saúde encontra-se em desmantelo completo. Os hospitais acumulam doentes pelos corredores, faltam medicamentos, ambulâncias, falta remunerar os médicos e profissionais da área de forma justa.. No verão temos um Brasil e no inverno temos outro. Enchentes, inundações, e desabamento demonstram a falta de Planos Diretores e saneamento nas cidades.
Um caos para um Governo que prometeu milagres, mas que está enfiando o Brasil no rol dos Países famosos por seus escândalos. Investiu pesado nas construções e reformas dos estádios para a Copa do Mundo, o povo manifestou-se contra e recebeu tiro de borracha, bombas de gás lacrimogêneo e cacetes nas costas, agora explode o escândalo do futebol. Difícil imaginar um evento internacional negativo em que não haja pelo menos um brasileiro envolvido. Surgem os nomes dos brasileiros envolvidos em mais este bafafá do futebol. Que País é este? Somos a maioria em um País que se diz Democrático, mas vivemos massacrados pela minoria política. Nada do que vivemos no atual momento teria sido permitido por consentimento popular, mas comemos nas mãos do Poder e dos poderosos, que ditam sem regras, o quento querem receber, mas dão vergonhosas migalhas para a população. Nenhum Professor precisaria paralisar suas atividades se estivessem com seus vencimentos em dia, se as escolas tivessem a estrutura adequada ao trabalho, se a merenda escolar não fosse desviada, enfim. O mesmo podemos dizer dos Médicos e profissionais da área de saúde.
Um País que municipalizou a Saúde, criou a Guarda Municipal, possui os EMEI e EMEF e deixa tudo isto sucateado. País onde se vive sem segurança nas residências, nas ruas, nos logradouros públicos, para que um aparato com tantos homens se a segurança só piorou? É uma triste realidade, infelizmente, mas é o que temos para hoje. Como brasileiro é firme e forte, não desiste nunca, passaremos por mais esta. Espero que com isto a gente aprenda a lição e pare de acreditar em conversa fiada de partidos e políticos e tenhamos mais cuidado em quem estamos acreditando.

Texto do escritor Tony Casanova . Direitos Autorais Reservados ao autor. Estão proibidas as cópias, colagens, divulgação em qualquer meio ou reprodução de qualquer natureza, do todo ou parte desta obra , sem a autorização expressa do autor sob pena de transgressão ás Leis Brasileiras e Internacionais de Proteção aos Direitos Intelectuais. O desrespeito implicará na aplicação das Sanções Penais cabíveis de acordo com a Legislação em vigor.

Seguidores do Google