Reflexão | Sofrimento e amor na vida humana. [Tony Casanova]


Ás vezes assistimos uma novela ou um filme e ficamos boquiabertos com algumas ações que os personagens fazem e que consideramos “loucas(os)”. São ações que chegamos a duvidar da nossa coragem em realizá-las, muitas vezes achamos absurdas, mas o fato é que nossa vida está cheia de histórias de pequenas loucuras que fizemos e que com o passar dos anos, esquecemos de tê-las feito. Basta recordar um pouco e vamos ter um flash das nossas loucuras pessoais. Quando estamos assistindo a um filme ou uma novela, nos interrogamos sobre o que levaria uma pessoa a agir daquela forma apresentada ali, ações muitas vezes totalmente contrárias ao estilo de vida daqueles personagens e que os transforma completamente. Fica aqui a pergunta que abre a nossa matéria de hoje; O que está por trás da insanidade momentânea das pessoas?
Eu pergunto a você que está lendo – O que você já fez ou seria capaz de fazer por amor? Viu como te vieram tantas lembranças. Mas o mais estranho é que por mais que você tenha feito ou mesmo esteja disposto a fazer por amor, ainda assim será capaz de fazer mais, muito mais. O amor tem a propriedade de ser um gerador de ações, motivador de causas e um enorme divisor de águas na vida humana. Imaginemos um sentimento tão especial e motivador que na história da Bíblia ele foi experimentado pelo próprio filho de Deus. Algo estupendo e magnífico que resultou na esperança de toda humanidade. Mas ai nos vem a pergunta que não deixa em paz: Porque razão então existe tanto sofrimento naqueles que amam?
Vejamos então um fato que muitas vezes nos passa batido. Quando Deus permitiu ao seu único filho Jesus Cristo, provar da paixão e do amor pela humanidade, Ele não eximiu o filho do sofrimento, pelo contrário, Jesus provou deste amor com todas as suas vertentes humanas, inclusive as dores e o sofrimento. Ora, se o próprio filho de Deus, primeiro e único, amargou dores terríveis, sofreu perseguição, humilhação e morte, porque haveríamos nós de provar do amor sem os ingredientes que o complementam? Obviamente que estou falando do amor de forma ampla, geral e não especificamente do amor que une homens e mulheres, mas chegarei lá. O que ocorre nas paixões entre homens e mulheres é resultado da “insanidade momentânea” que vivemos quando apaixonados. A primeira loucura cometida por quem ama é produzir uma fé inexplicável naquele por quem apaixonou-se.
Quando apaixonados removemos aquela pessoa especial da condição humana e o elevamos à condição de venerado, uma espécie de Deus, que tem o poder de nos trazer toda sorte de benefícios e de quem nunca esperamos o mal. Ai você me perguntará – Isto é loucura? Sim, de certa forma. Se analisarmos de forma geral as atitudes humanas veremos que todos possuem inclinação para os erros e falhas, fato que lhes garante a condição humana e que os diferencia de Deus. Ocorre que durante a nossa paixão esquecemos de que estamos amando humanamente e que deste amor virão situações em que seremos testados na nossa capacidade de perdoar, tolerar e entender. Se você achou estranho esta explanação, então raciocine comigo; Como alguém saberá da capacidade do outro em perdoar se nunca houver razões para isto? Como provar que somos tolerantes se formos testados nesta capacidade? Ora, se alguém errou contigo e você não lhe deu o perdão, como provará que realmente ama?
Você deve estar achando complicado, mas não é. É tudo tão simples e claro que nem precisa explicação. Vou redundar em um tema que sempre falo e sempre defenderei: As atitudes humanas. Neste século vivemos em um mundo onde estamos rodeados de belos e inflamados discursos e fatalmente estamos sempre condicionados a acreditar neles. Um erro grosseiro. A paixão, esta grande motivadora de ações e o amor cujo maior poder é ser o maior divisor de águas do ser humano são a grande prova de que ninguém poderá amar somente pelas palavras e que discursos nada provam além da capacidade de oratória pública, mas o amor verdadeiro trará atitudes como prova da sua existência e sem atitudes todas as palavras serão apenas confissões improváveis.

Texto do escritor Tony Casanova . Direitos Autorais Reservados ao autor. Estão proibidas as cópias, colagens, divulgação em qualquer meio ou reprodução de qualquer natureza, do todo ou parte desta obra , sem a autorização expressa do autor sob pena de transgressão ás Leis Brasileiras e Internacionais de Proteção aos Direitos Intelectuais. O desrespeito implicará na aplicação das Sanções Penais cabíveis de acordo com a Legislação em vigor.
.........................................................................................................................

Reflection | Suffering and love in human life. [Tony Casanova]

Sometimes we watch a soap opera or a movie and we were blown away with some actions that the characters do and what we consider "crazy (them)." Are actions that we come to doubt our courage in performing them, often we find absurd, but the fact is that our lives are full of stories of small follies we did and that over the years, we forget to have them done. Just remember a little and we have a flash of our personal follies. When we are watching a movie or a novel, we ask ourselves about what would take a person to act like that presented here, actions often totally contrary to the lifestyle of those characters and that turns them completely. Here is the question that opens our matter today; What is behind the momentary insanity of the people?
    I ask you who are reading - What have you done or would do for love? See how you came so many memories. But the strange thing is that while you've done or even be willing to do for love, still be able to do more, much more. Love has the property of being a stock generator, motivating causes and a huge watershed in human life. Imagine a feeling so special and motivating than in the Bible story he was tried by the very son of God. Something stupendous and magnificent resulting in the hope of all humanity. But there comes the question that does not leave in peace: Why then is there so much suffering in those they love?
    Let us look at a fact that often goes on the beat. When God allowed his only son Jesus Christ, taste the passion and love for humanity, He did not exempt the child from suffering, on the contrary, Jesus proved this love with all its human aspects, including pain and suffering. But if the very Son of God, one and only, bitter terrible pain, suffered persecution, humiliation and death, why should we prove the love without the ingredients that complement each other? Obviously I'm talking about the love of broadly general and not specifically the love that unites men and women, but get there. What happens in the passions of men and women is a result of "momentary insanity" when we live in love. The first folly committed by one who loves is to produce an inexplicable faith in Him by whom fell in love.
     When we love that special someone removed the human condition and raise the revered status, a kind of God who has the power to bring all sorts of benefits and who never expected evil. Oh you ask me - This is madness? Yes, in a way. If we look in general human attitudes we see that all have inclination to errors and failures, a fact that guarantees them the human condition and what differentiates them from God. It happens that during our passion forget that we are loving humanely and that this love will come situations where we will be tested in our ability to forgive, tolerate and understand. If you found this strange explanation, then to reason with me; As someone know the other's ability to forgive if ever there reasons for this? How to prove that we are tolerant if we tested in this capacity? If anyone missed you and you did not give him forgiveness, as prove you really love?
     You must think complicated but is not. It's all so simple and clear that not need explanation. Will result in a subject that always talk and always defend: Human attitudes. In this century we live in a world where we are surrounded by beautiful and fiery speeches and fatally are always conditioned to believe them. A gross error. The passion, this great motivating actions and love whose greatest power is to be the largest human watershed are the great proof that no one can love only the words and speeches prove nothing beyond the public speaking ability, but the true love will bring attitude as proof of its existence and without attitudes all words are just improbable confessions.

    Text writer Tony Casanova. Copyright reserved to the author. Prints, collages, disclosure or reproduction in any medium whatsoever, of all or part of this work without the express permission of the author under penalty of transgression ace Brazilian law and International Protection to Intellectual Rights are prohibited. Failure to comply will result in the application of appropriate criminal penalties in accordance with the legislation in force.

...........................................................................................................................

A veces vemos una telenovela o una película y nos quedamos impresionados con algunas acciones que los personajes y lo que consideran "una locura (ellos)". Son acciones que llegamos a dudar de nuestro valor en el desempeño de ellos, a menudo nos encontramos absurdo, pero el hecho es que nuestras vidas están llenas de historias de pequeñas locuras que hicimos y que a lo largo de los años, nos olvidamos de ellos han hecho. Sólo recuerda un poco y tenemos un destello de nuestras locuras personales. Cuando estamos viendo una película o una novela, nos preguntamos sobre lo que iba a llevar a una persona a actuar como la presentada aquí, acciones a menudo totalmente en contra de la forma de vida de esos personajes y que los convierte por completo. Esta es la pregunta que abre nuestra materia hoy; Qué hay detrás de la locura momentánea de las personas?
    Pido a ustedes que están leyendo - ¿Qué has hecho o harías por amor? Descubre cómo llegaste tantos recuerdos. Pero lo extraño es que mientras que usted ha hecho o incluso estar dispuesto a hacer por amor, aún así ser capaz de hacer más, mucho más. El amor tiene la propiedad de ser un generador de valores, la motivación de las causas y un gran hito en la vida humana. Imagina un sentimiento tan especial y motivador que en la historia bíblica fue juzgado por el mismo hijo de Dios. Algo estupendo y magnífico resultado con la esperanza de toda la humanidad. Pero llega la pregunta que no deja en paz: ¿Por qué entonces hay tanto sufrimiento en sus seres queridos?
    Echemos un vistazo a un hecho que a menudo va en el ritmo. Cuando Dios permitió que su único hijo Jesucristo, el sabor de la pasión y el amor por la humanidad, Él no exime al niño de sufrimiento, por el contrario, Jesús demostró ese amor con todos sus aspectos humanos, incluyendo el dolor y el sufrimiento. Pero si el mismo Hijo de Dios, uno y único, terrible dolor amargo, sufrió persecución, humillación y muerte, ¿por qué debemos demostrar el amor sin los ingredientes que se complementan entre sí? Obviamente estoy hablando sobre el amor de amplio general y no específicamente el amor que une a los hombres y mujeres, pero hay que ir. Lo que sucede en las pasiones de los hombres y mujeres es el resultado de la "locura momentánea" cuando vivimos en el amor. La primera locura cometida por uno que ama es producir una fe inexplicable en Él por quien se enamoró.
     Cuando amamos a alguien especial elimina la condición humana y elevar el estatus venerado, una especie de Dios que tiene el poder de traer todo tipo de beneficios y que nunca se espera mal. Oh usted me pregunta - Esto es una locura? Sí, en cierto modo. Si nos fijamos en las actitudes humanas generales vemos que todos tienen ganas de errores y fracasos, lo que les garantiza la condición humana y lo que los diferencia de Dios. Sucede que durante nuestra pasión olvidar que estamos amando con humanidad y que este amor vendrá situaciones en las que se pondrán a prueba en nuestra capacidad de perdonar, tolerar y comprender. Si has encontrado esta extraña explicación, y luego a razonar conmigo; Como alguien saber la capacidad del otro para perdonar Si alguna vez hubo razones para esto? ¿Cómo demostrar que somos tolerantes si probamos en esta capacidad? Si alguien te extrañaba y que no le dio el perdón, como demostrar que realmente amas?
     Usted debe pensar complicado pero no lo es. Es todo tan simple y claro que no necesita explicación. Se traducirá en un tema que siempre se habla y siempre defender: actitudes Humanos. En este siglo que vivimos en un mundo en el que estamos rodeados de bellas y ardientes discursos y fatalmente siempre condicionados a creer en ellos. Un grave error. La pasión, este gran acciones de motivación y amor cuyo mayor poder es ser el más grande de cuencas humana son la gran prueba de que nadie puede amar solamente las palabras y los discursos no prueban nada más allá de la capacidad de hablar en público, pero el el verdadero amor traerá actitud como prueba de su existencia y sin actitudes todas las palabras son confesiones simplemente inverosímiles.

    Escritor del texto de Tony Casanova. Derechos de autor reservados al autor. Estampas, collages, divulgación o reproducción en cualquier medio que sea, de la totalidad o parte de este trabajo sin el permiso expreso del autor, bajo pena de la ley brasileña as transgresión y la Protección Internacional de los Derechos Intelectuales están prohibidos. El incumplimiento dará lugar a la aplicación de sanciones penales correspondientes, de conformidad con la legislación vigente.

Seguidores do Google