Filosofia | A vida, simplesmente ela. | Tony Casanova

Diz-se da vida que ela é difícil de ser entendida, afirmativa que eu obviamente discordo, até porque não vejo complicações maiores na vida, a não ser pelo fato de nós humanos, nas nossas inúteis tentativas de provarmos a nós mesmos que sabemos tudo, tentamos explicar o inexplicável. Meu Deus! Quem disse que a vida precisa ser explicada? Por que e para que explicar a vida? Quantos de nós nas nossas vãs tentativas de explicar a vida nos afundamos em frustrações porque deixamos de vivê-la?
Ainda que vivêssemos por cem anos e ao longo deste período acumulássemos todo conhecimento possível sobre o que é viver, por outro lado estaríamos acumulando também uma infinidade de dúvidas que surgiriam das nossas observações. É minimamente estranho pensar que de uma hora para outra, acordaremos com a fórmula que resolve a equação do que é de fato viver. Neste intervalo de tempo compreendido entre o nosso nascimento, o crescimento e a morte, vamos caminhando e escrevendo histórias, pequenos capítulos do que fomos, de quem fomos e o infinito sonho do que desejamos ser.
Há algo que vive a nos esquentar a cabeça, nos apoquentar diariamente que chama-se futuro. Em nome dele, muitas vezes nós esquecemos o presente, ou em outras vezes passamos a remoer o passado de tal maneira que nos embalsamamos vivos. Estaríamos parecidos com aquelas criaturas que aparecem na série “The Walking Dead” perambulando em busca de comida, no caso alguém para comer. Nós não precisamos de coisa alguma para que possamos viver a vida de uma forma satisfatória, mas a nossa mente nos incita a sonhar e para realizar estes sonhos precisamos de tempo. É exatamente isto que muitos fazem durante todo o período em que vivem: Correm atrás de sonhos. Usando uma expressão um tanto pesada e até construindo aqui um trocadilho infame, muitos se matam tentando realizar sonhos que passaram a vida construindo.
Se um dia você acidentalmente cair em um rio de correnteza bravia deve lembrar-se de alguns pontos que poderão mantê-lo a salvo da fúria das águas. Primeiro: Nunca nade contra a correnteza! Segundo: Sua meta deve ser as margens. Terceiro: Só há um lugar para onde você não deve ir; para o fundo! E por último, lembre-se: O ar está em todas as partes, exceto embaixo, por isso mantenha a cabeça erguida se quiser respirar e manter-se vivo. Quantas pessoas conhecemos que vivem a debater-se nadando contra fortes correntes. É desgastante, inútil e insano. Um ato de desespero! Em momentos em que nos afogamos, não devemos lutar contra nada, mas pelo nosso direito de respirar para nos mantermos vivos. Afundar é uma meta que não desejamos, por isso devemos manter a cabeça sempre erguida, sem desespero, buscando sempre a superfície, mas acima de tudo respeitando a força da corrente que nos envolve.
Talvez para muitos que se dão ao luxo de serem filósofos e nas suas insanidades tentem explicar as “entrelinhas” da vida, a vida seja um novelo de muitas pontas, mas para quem sabe de fato apreciá-la, curti-la em toda sua extensão, a coisa seja tão simples quanto acordar e abraçar o dia com um sorriso de satisfação por simplesmente estar vivo mais um dia. Para vivermos bem não basta vestirmos o terno do conhecimento e exibir altos graus de formação, mesmo porque o princípio da vida é sempre o mesmo desde que foi iniciada sobre a terra e não há doutor, seja ele de que área for, capaz de explicar exatamente o que é a tão preciosa vida. Tudo que é possível saber sobre ela é que viveram melhor aqueles que não se deram ao pomposo luxo de explicá-las, mas se renderam a humildade magnífica de apenas tentar vivê-la.


Texto do Escritor brasileiro Tony Casanova. Direitos Autorais reservados. Proibida a cópia, colagem, reprodução total ou parcial de qualquer espécie ou divulgação em qualquer meio sem autorização prévia e expressa do autor. A violação destes Direitos constitui-se em crime previsto nas Leis Brasileiras e Internacionais de Proteção aos Direitos Autorais e Propriedade Intelectual e está passiva de punição legal cabível de acordo com a Legislação em vigor.   

..............................................................................................................................

Philosophy | Life, just her. | Tony Casanova

It is said of life that it is difficult to understand, yes I obviously disagree, because I do not see major complications in life, except for the fact that we humans, in our futile attempts to prove to ourselves that we know everything, We try to explain the unexplainable. My God! Who said life needs to be explained? Why and to explain life? How many of us in our vain attempts to explain life in the sink in frustration because we fail to live it?
Even if we lived for a hundred years and throughout this period acumulássemos all possible knowledge about what living on the other side we would also accumulating a multitude of questions that arise from our observations. It is minimally strange to think of a sudden, wake up with the formula that solves the equation of what is actually living. In this interval of time between our birth, growth and death, we walk and writing stories, short chapters than we were, who we were and the infinite dream we want to be.
There is something that lives in warm head, persecute us daily that is called future. In his name, we often forget the present, or at other times we spend dwelling on the past so that embalsamamos alive. Would be similar to those creatures that appear in the series "The Walking Dead" wandering in search of food, in case anyone to eat. We do not need anything for us to live life in a satisfactory way, but our mind encourages us to dream and to realize these dreams need time. This is exactly what many do throughout the period in which they live: They run behind dreams. One using an expression both heavy and even building an infamous pun here, many are killed trying to fulfill dreams that have spent their lives building.
If you ever accidentally fall into a wild river stream should remember some points that may keep you safe from the fury of the waters. First: Never swim against the current! Second: Your goal should be the banks. Third: There is only one place you should not go; to the bottom! Finally, remember: The air is everywhere except down, so keep your head up if you want to breathe and stay alive. How many people know who live to struggle swimming against strong currents. It's exhausting, useless and insane. An act of desperation! In times when we drown, we should not fight anything, but for our right to breathe to stay alive. Sink is a goal we do not want, so we must keep our heads held high, without despair, always seeking the surface, but above all respecting the strength of the current that surrounds us.
Perhaps for many that luxury to give up being philosophers and their insanities try to explain the "lines" of life, life is a skein of many tips, but maybe actually enjoy it, enjoy it in all its extension the thing is as simple as waking up and embrace the day with a smile of satisfaction by simply being alive another day. To live and not just embracing the suit of knowledge and display high levels of training, if only because the principle of life is always the same since it started on earth and there is no doctor, whether that area is able to explain exactly what is so precious life. Everything there is to know about it is that they lived better those who did not take the pompous luxury explain them, but surrendered the magnificent humility of just trying to live it.

Text Brazilian writer Tony Casanova. Copyright reserved. The copying, collage, total or partial reproduction of any kind or dissemination in any medium without prior written permission of the author. Violation of these rights constitutes a crime under Brazilian law and the protection of the International Copyright and Intellectual Property and is passive legal punishment applicable according to the legislation in force.

......................................................................................................

Filosofía | La vida, sólo ella. | De Tony Casanova

Se dice de la vida que es difícil de entender, sí, obviamente, de acuerdo, porque yo no veo mayores complicaciones en la vida, excepto por el hecho de que los seres humanos, en nuestros intentos inútiles para demostrarnos a nosotros mismos que lo sabemos todo, Tratamos de explicar lo inexplicable. ¡Dios mio! ¿Quién dijo que la vida hay que explicar? ¿Por qué y para explicar la vida? ¿Cuántos de nosotros en nuestros vanos intentos de explicar la vida en el fregadero en la frustración, porque no somos capaces de vivirla?
Incluso si viviéramos durante cien años y durante todo este período acumulássemos todo el conocimiento posible sobre lo que vive en el otro lado también queremos acumular una gran cantidad de preguntas que surgen de nuestras observaciones. Es mínimamente extraño pensar, de repente, se despierta con la fórmula que resuelve la ecuación de lo que realmente está viviendo. En este intervalo de tiempo entre nuestro nacimiento, crecimiento y muerte, caminamos y escribir historias, capítulos cortos que nosotros, que estábamos y el sueño infinito que queremos ser.
No es algo que vive en la cabeza caliente, perseguirnos diario que se llama futuro. En su nombre, a menudo olvidamos el presente, o en otros momentos que pasamos vivir en el pasado para que embalsamamos vivo. Sería similar a esas criaturas que aparecen en la serie "The Walking Dead" vagando en busca de comida, por si a alguien a comer. No necesitamos nada para nosotros vivir la vida de una manera satisfactoria, pero nuestra mente nos anima a soñar y hacer realidad estos sueños necesitan tiempo. Esto es exactamente lo que muchos lo hacen durante todo el período en el que viven: Corren detrás de los sueños. Uno utilizando una expresión tanto pesada e incluso la construcción de un juego de palabras infames aquí, muchos son asesinados tratando de cumplir los sueños que han pasado su edificio vidas.
Si alguna vez se cae accidentalmente en una corriente del río salvaje deben recordar algunos puntos que pueden mantenerse a salvo de la furia de las aguas. Primero: Nunca nadar contra la corriente! Segundo: Su objetivo debe ser que los bancos. Tercero: Sólo hay un lugar que no debes andar; hasta el fondo! Por último, recuerde: El aire está en todas partes, excepto abajo, por lo que mantener la cabeza en alto si quiere respirar y mantenerse con vida. ¿Cuánta gente sabe que viven para luchar nadar contra corrientes fuertes. Es agotador, inútil y una locura. Un acto de desesperación! En momentos en que nos ahogamos, no debemos pelear nada, pero por nuestro derecho a respirar para seguir con vida. Sink es un objetivo que no queremos, por lo que debemos mantener la cabeza en alto, sin desesperación, buscando siempre la superficie, pero, sobre todo, respetando la fuerza de la corriente que nos rodea.
Tal vez para muchos que el lujo de renunciar a ser filósofos y sus locuras tratar de explicar las "líneas" de la vida, la vida es una madeja de muchos consejos, pero en realidad puede que disfrutar de ella, disfrutar de ella en toda su extensión la cosa es tan simple como el despertar y abrazar el día con una sonrisa de satisfacción por el simple hecho de estar vivo un día más. Para vivir y no sólo abrazar la demanda de conocimientos y mostrar un alto nivel de formación, aunque sólo sea porque el principio de la vida es siempre el mismo desde que comenzó en la tierra y no hay médico, si esa zona es capaz de explicar exactamente lo que es la vida tan preciosa. Todo lo que hay que saber sobre ella es que vivían mejor a aquellos que no tomaron el lujo pomposo explicar, pero se rindieron a la magnífica humildad de tratar de vivirla.

Texto escritor brasileño, Tony Casanova. Derechos de autor reservados. La copia, el collage, la reproducción total o parcial de cualquier tipo o difusión en cualquier medio sin permiso previo y por escrito del autor. La violación de estos derechos constituye un delito según la legislación brasileña y la protección de la Internacional de Autor y Propiedad Intelectual y es castigo legal pasiva aplicables según la legislación vigente. 

Seguidores do Google