Reflexão | Como vencer tempestades na vida. | Tony Casanova

Lembro-me de ter assistido um filme há algum tempo, onde marinheiros a bordo de um antigo navio, enfrentavam uma terrível tempestade. Apesar de que a estória se tratasse de uma obra de ficção, retirei dali vários ensinamentos importantes. Esta é a matéria que trago hoje para vocês, uma leitura que conduzirá você a uma profunda reflexão e poderá te dar, assim como deu a mim, grandes esclarecimentos sobre a vida.
Era noite e sob a tênue luz das lamparinas a bordo, pouco via-se do mar e suas gigantescas ondas quebrando sobre o navio de madeira como se quisessem parti-lo ao meio. O cenário era céu escuro e mar à vista, mais nada. Ora caia um marujo que logo levantava-se e continuava o que fazia. O barulho das ondas era assustador. Para cada situação de perigo que surgia para aqueles personagem, eu pensava em uma saída: Eu faria assim, assim e assim. Pensava eu. Primeira lição que aprendi:

É mais fácil ser herói na luta dos outros.

Sim e como é. Passados anos da minha vida, com tantas lutas vencidas eu percebi que cada um tem sua própria luta e que não nos cabe apontar saídas para situações em que nos colocamos como heróis. Cada um luta com as armas que possui e ninguém é herói senão da própria luta.

A tormenta aumentava e aqueles homens estavam várias noites sem dormir enfrentando a fúria da tempestade. Não se via quase nada naquela noite escura, mas eles retiravam a água que entrava usando baldes de uma forma incansável. Estavam exaustos, famintos, mas sabiam que se não fizessem este esforço e se ajudassem, morreriam. Segunda lição que aprendi:

Até os animais se unem solidários a uma luta.

Nenhuma luta é em vão. Luta-se para defender alguma coisa. Muitas vezes o Direito sagrado de sobreviver, como faziam aqueles homens e como todos estavam no mesmo barco, a união de todos na mesma luta aumentou a possibilidade de vitória. Muitas vezes vemos pessoas lutando e ignoramos. Cruzamos os braços porque julgamos que não é nossa luta porque não estamos no mesmo barco. Engano nosso. Somos humanos e por estarmos vivendo no mesmo Planeta, estamos sim no mesmo barco. A luta de qualquer outro ser humano é também a nossa luta.

Pela manhã a tempestade havia passado e nenhuma vida foi perdida. O barco estava intacto, apenas algumas coisas que precisavam ser arrumadas e pequenos estragos. Exaustos, todos se abraçaram e comemoraram por estarem vivos. Dormiram e ao acordarem beberam em comemoração ao feito. Terceira lição que aprendi:

Não se comemora uma vitória da qual não se participou junto quando poderia.

Quando aqueles homens se abraçaram ficou claro que cada um reconhecia no outro a bravura de um guerreiro que não abandonou o barco e que lutou pelas vidas de todos que nele estavam. Nada mais justo que comemorar com aqueles que nos deram as mãos em momentos difíceis e convidá-los à brindar conosco uma vitória dividida. Todos lutaram, todos venceram, todos comemoram.
Mas de todas as lições que pude extrair deste filme, a maior delas ainda não foram as que relatei, mas uma em especial que me fez perceber que não é só com coragem que se vence uma batalha. Durante todo trajetória daqueles marinheiros a bordo daquele grande navio de madeira em pleno alto-mar, eu pude perceber que enquanto lutavam contra a temível tempestade ele cantavam alegremente. Este fato me fez vir à cabeça um trecho Bíblico que diz: “Jesus, porém, lhes falou logo, dizendo: Tende bom ânimo, sou eu, não temais.” Mateus 14:27.
Aqueles homens estavam há duas noites sem dormir, lutando contra uma tempestade que não cessava, mas não se deixaram vencer. Foram excelentemente corajosos, mas acima de tudo tiveram bom ânimo durante a batalha. Nenhum deles estava disposto a parar até que tivessem vencido. Não havia tempo para pensar na derrota, pois havia uma luta para ser vencida e eles venceram. Esta foi a maior lição de todas que pude aprender ali: Jamais perder o ânimo durante uma batalha.
Foi apenas um filme, mas quantas lições preciosas ele me deu. Quanto ensinamento pude perceber ali, portanto é importante estarmos atentos aos ensinamentos da vida. Ela tem muito mais a nos oferecer do que simples momentos de alegria passageira, mas haverão momentos em que o bom aprendizado poderá até salvar tua vida.



Texto do Escritor brasileiro Tony Casanova. Direitos Autorais reservados. Proibida a cópia, colagem, reprodução total ou parcial de qualquer espécie ou divulgação em qualquer meio sem autorização prévia e expressa do autor. A violação destes Direitos constitui-se em crime previsto nas Leis Brasileiras e Internacionais de Proteção aos Direitos Autorais e Propriedade Intelectual e está passiva de punição legal cabível de acordo com a Legislação em vigor.

........................................................................................................

reflection | How to win in life storms | Tony Casanova

I remember having seen a movie in a while, where sailors aboard an ancient ship, they faced a terrible storm. Although the story if it were a work of fiction, pulled away several important lessons. This is the stuff that I bring to you today, a reading that will lead you to a deep reflection and can give you, and gave me little light on life.
It was night and in the dim light of lanterns on board, little could be seen of the sea and its huge waves breaking on the wooden ship as if to break it in half. The scene was dark sky and sea in sight, nothing else. Now drop a sailor who just got up and continued what he was doing. The noise of the waves was frightening. For each hazardous situation which arose for those character, I thought of a way out: I do so, so and so. I thought. First lesson learned:

It is easier to be a hero in the struggle of others.

Yes and how. After years of my life with so many fights won I realized that each has its own struggle and that does not fit in pinpointing solutions for situations that put us as heroes. Each fight with the weapons we have and nobody's hero but the struggle itself.

The storm increased and the men were many sleepless nights facing the fury of the storm. I did not see almost nothing that dark night, but they withdrew the water coming in buckets using a tirelessly. They were exhausted, hungry, but knew that if they did this effort and help, they would die. Second lesson I learned:

Even animals come together in solidarity to a fight.

No struggle is in vain. Fight to defend something. Often the sacred right to survive, as did those men and how they were all in the same boat, the union of all in the same struggle has increased the possibility of victory. We often see people struggling and ignore. We fold our arms because we believe that it is not our fight because we are not in the same boat. Our mistake. We are human and we are living on the same planet, we are rather in the same boat. The fight of any other human being is also our struggle.

In the morning the storm had passed and no lives were lost. The boat was intact, just a few things that needed to be stowed and minor damage. Exhausted all hugged and celebrated for being alive. They slept and drank agree to commemorate the feat. Third lesson I learned:

Not celebrating a victory which was not involved with when they could.

When those men embraced it became clear that each recognized the other the bravery of a warrior who has not abandoned the boat and who fought for the lives of all who were in it. It is fair to celebrate with those who have given us their hands in difficult moments and invite them to toast us a split victory. All fought, all won, all celebrate.
But of all the lessons we could draw from this movie, most of them have not been the ones reported, but one in particular that made me realize that it's not just courage that wins a battle. Throughout history those sailors aboard that big wooden ship on the high seas full, I could see that while fighting against the fearsome storm he sang cheerfully. This fact made me come to mind a Bible passage that says, "But Jesus said unto them, saying. Be of good cheer; it is I; be not afraid" Matthew 14:27.
Those men were there two nights without sleep, struggling against a storm that never ceased, but not to be frustrated. excellently they were courageous, but above all had good cheer during the battle. None of them was willing to stop until they had won. There was no time to think of defeat because there was a fight to be won and they won. This was the greatest lesson of all that I have learned here: Never lose heart during a battle.
It was just a movie, but how many precious lessons he gave me. I am teaching as I could see there, so it is important to be attentive to the teachings of life. It has much more to offer us than simple moments of fleeting joy, but there will be times when the good learning may even save your life.

Text Brazilian writer Tony Casanova. Copyright reserved. The copying, collage, total or partial reproduction of any kind or dissemination in any form without prior written permission of the author. The violation of these rights constitutes a crime under the Brazilian law and protection of the International Copyright and Intellectual Property and is passive legal punishment applicable according to the legislation in force.

..............................................................................................................

la reflexión | Cómo ganar en las tormentas de la vida | tony Casanova

Recuerdo haber visto una película en un tiempo, donde los marineros a bordo de un barco antiguo, se enfrentaron a una terrible tormenta. Aunque la historia si se tratara de una obra de ficción, se alejó varias lecciones importantes. Este es el material que os traigo hoy, una lectura que le llevará a una reflexión profunda y le puede dar, y me dio algo de luz sobre la vida.
Era de noche y la tenue luz de las lámparas de a bordo, poco se podía ver el mar y sus enormes olas rompiendo en la nave de madera como si fuera a romperse por la mitad. La escena era cielo oscuro y el mar a la vista, nada más. Ahora deja caer un marinero que simplemente se levantó y continuó lo que estaba haciendo. El ruido de las olas era aterradora. Para cada situación peligrosa que surgió de los caracteres, pensé en una salida: lo hago, esto y lo otro. Pensé. Primera lección aprendida:

Es más fácil ser un héroe en la lucha de los demás.

Sí y cómo. Después de años de mi vida con tantas peleas ganadas me di cuenta de que cada uno tiene su propia lucha y que no encaja en la localización de soluciones para situaciones que nos ponen como héroes. Cada pelea con las armas que tenemos y héroe de nadie más que de la propia lucha.

La tormenta aumentó y los hombres eran muchas noches en vela frente a la furia de la tormenta. No he visto casi nada de esa noche oscura, pero se retiraron del agua que viene en cubos utilizando un descanso. Estaban agotados, hambrientos, pero sabía que si lo hicieron este esfuerzo y ayuda, morirían. Segunda lección que aprendí:

Incluso los animales se unen en solidaridad para una pelea.

No se lucha es en vano. Luchar para defender algo. A menudo, el sagrado derecho a sobrevivir, al igual que los hombres, y la forma en que estaban todos en el mismo barco, la unión de todos en la misma lucha ha aumentado la posibilidad de la victoria. A menudo vemos a personas que luchan y no hacer caso. Nos cruzamos de brazos porque creemos que no es nuestra lucha, porque no estamos en el mismo barco. Nuestro error. Somos humanos y vivimos en el mismo planeta, estamos más bien en el mismo barco. La lucha de cualquier otro ser humano es también nuestra lucha.

Por la mañana, la tormenta había pasado y no se perdieron vidas. El barco estaba intacto, sólo algunas cosas que necesitaban ser estibado y daños menores. Agotado todos se abrazaron y celebraron por estar vivo. Dormían y bebieron de acuerdo para conmemorar la hazaña. Tercera lección que aprendí:

No celebrar una victoria que no participó siempre que fuera posible.

Cuando los hombres se abrazaron se hizo evidente que cada uno reconoce la otra la bravura de un guerrero que no ha abandonado el barco y que luchó por la vida de todos los que estaban en ella. Es justo para celebrar con los que nos han dado sus manos en los momentos difíciles e invitarles a que nos brindar una victoria dividida. Todos lucharon, todos ganaron, todos a celebrar.
Pero de todas las lecciones que podríamos extraer de esta película, la mayoría de ellos no han sido los reportados, pero uno en particular que me hizo comprender que no se trata sólo coraje que gana una batalla. A lo largo de la historia de los marineros a bordo de ese gran barco de madera en alta mar completo, pude ver que mientras que la lucha contra la tormenta temible cantaba alegremente. Este hecho me hizo venir a la mente un pasaje de la Biblia que dice: "Pero Jesús dijo a ellos, diciendo: ¡Tened ánimo;. ¡Yo soy, no temáis" Mateo 14:27.
Esos hombres estaban allí dos noches sin dormir, luchando contra una tormenta que nunca dejó, pero no para ser frustrado. excelentemente eran valientes, pero sobre todo tenía buen ánimo durante la batalla. Ninguno de ellos estaba dispuesto a parar hasta que habían ganado. No había tiempo para pensar en la derrota porque no había una pelea que ganar y ganaron. Esta fue la lección más importante de todo lo que he aprendido aquí: Nunca pierda el corazón durante una batalla.
Era sólo una película, pero ¿cuántos preciosa lecciones que me dio. Estoy enseñando como se pude ver que, por lo que es importante estar atento a las enseñanzas de la vida. Se tiene mucho más que ofrecer que nosotros simples momentos de alegría fugaz, pero habrá ocasiones en que el buen aprendizaje puede incluso salvar su vida.

Texto escritor brasileño, Tony Casanova. Los derechos de autor reservados. La copia, el collage, la reproducción total o parcial de cualquier tipo o difusión en cualquier forma sin el permiso previo y por escrito del autor. La violación de estos derechos constituye un crimen bajo la ley brasileña y la protección de la Internacional de Autor y la Propiedad Intelectual y es castigo legal pasiva aplicables de acuerdo con la legislación vigente.

Seguidores do Google