Quando o casamento esfria. When marriage cools.

No início de tudo, ainda durante o namoro, o casal vive a plenitude da paixão. Os beijos, os toques, as palavras carinhosas, tudo faz parte do ritual do namoro, onde cada um procura se dar amo máximo para a satisfação do outro. Os olhares são apaixonados, o casal sempre sorridente, tudo faz parte. As brigas são esquecidas ao sabor da avassaladora saudade que um sente do outro e nestas brigas eles acabam descobrindo o quanto se gostam e se amam de verdade. Nada ou quase nada muda durante o noivado, a ansiedade, a espera pelo casamento é a máxima do casal, que juntos, planejam e organizam preparativos para o enlace matrimonial. Durante o período da paixão é fácil exercitar o perdão, fácil desculpar e compreender. Alguns anos se passam, as vezes menos, outras vezes mais e voce percebe que já não sente a mesma paixão tão evidente por ele ou ele já não a sente por voce. Os beijos já não tem mais calor, mais provocação, se tornaram raros e não são mais ardentes. O toque já não arrepia a pele, o corpo nú já não prende o olhar e as palavras agora são secas, agressivas e distantes da doçura do inicio. Deitar-se junto já não é mais o momento mais esperado e torna-se uma obrigação quase impossível de ser cumprida. Antes, dormir na posição de "conchinha" era satisfatório, agora já não há mais este desejo, vira-se para o lado e procura-se dormir. A medida que o tempo passa e estas sensações se repetem entre ambos, torna-se evidente que o casamento esfriou, está definhando, morrendo. Ou já está morto. Este não é um relato fictício, pode ser que voce que está lendo agora esteja vivendo isso ou já viveu estas situações. Pode ser que tenha ouvido confissões de um amigo, uma amiga que tenha passado por isto tudo. Este é um fenômeno comum nos casamentos modernos e existe solução nestes casos, mas requer dedicação e força de vontade de ambas as partes. Uma relação só fecha um elo, só pode ser chamada de "aliança" se ambos estiverem sentindo a mesma vontade, então se voce não o deseja mais, pare, reflita e medite bastante sobre a possibilidade de reiniciar e ter desejo por ele. Se for ele que não a deseja, chame-o, converse francamente e diga-lhe sobre o risco da relação ser rompida por consequência da falta de desejo. Exercite formas de sedução, use roupas provocantes, sensualize-se para sua esposa, para seu esposo. Procure mexer na sensibilidade do outro, volte a ser doce nas palavras, seja mais romântico, romântica...estimule o outro a sentir desejo. Acenda-se para a relação homem-mulher e torne-se a pessoa dos sonhos. Reconquistas sempre geram mais paixão que a primeira vez. Mas se voce tem plena consciência de que não está disposto a nada disso, então é melhor aceitar o fato e para não desonrar seu cônjuge a melhor saída é a separação, infelizmente. Tenha na mente sempre que a separação é o último estágio da vida conjugal, mas se vier, ambos devem estar preparados, pois o preço a ser pago é bem alto e as consequências virão. Boa sorte em sua relação.

Seguidores do Google