Amor - O poder da renúncia.


O Namoro.

A melhor fase de uma relação dá-se no início. O casal é tomado de uma paixão quase incontrolável e cada momento na vida de ambos é apreciado com extrema intensidade. Neste período não há planos, apenas curte-se o presente sem muita preocupação com o futuro. A felicidade é uma constante nesta fase e a afetividade surge a pleno vapor. Existe a necessidade da presença e da proximidade, dos toques, das carícias, dos carinhos. O namoro é o momento áureo dos casais. Eu poderia dizer que é a fase menina-moça de uma relação e consiste em dedicação, carinho e afetividade mútua em estado latente.

O Noivado.

Neste período aquelas emoções de início estão bem mais controladas. O emocional está mais equilibrado e a responsabilidade torna-se o assunto principal. O noivado antecede os passos em direção a realização do sonho de ambos: Estarem eternamente juntos. Unidos eles planejam e antecipam compras de Eletrodomésticos como micro-ondas, Máquina de Lavar, Geladeira, Fogão, Televisor, Cama, Colchão, Roupas de Cama, Mesa e Banho, enfim. Durante o noivado o casal torna-se socialmente mais sério, procuram estar unidos nas decisões que envolvam seus planejamentos futuros. Sonham com a Casa Própria, com a aquisição do Carro Zero. A família une-se em torno do casal e cresce o entrosamento entre os familiares de ambos. Está se aproximando a hora de dizer Sim e iniciar vida nova como casados.

O Casamento.

Finalmente, após terem feito as compras do Terno do Noivo, do Vestido da Noiva, das Alianças, dos Paramentos das Damas de Honra, acertos da Igreja, do Carro e Ornamentação, Buffet, Convites e Convidados entre tantas outras providências incluindo o local para Lua-de-Mel, eles vão aguardar o dia da tão sonhada Troca de Alianças. Dá para assistir a cena dos nubentes cada um olhando seus celulares de última geração, ansiosos pela chamada convidando-os a seguirem para o carro que os levará para a igreja. Pernas trêmulas, coração acelerado, a emoção toma conta dos dois. Finalmente na Igreja eles dizem Sim e seguem para a viagem de lua-de-mel. Ali se realizam, dão-se aos prazeres e esquecem a vida e suas preocupações.

As Renúncias.

Passada a euforia pós casamento, surge então a crueza da realidade após o primeiro ano de casados. Descobrem que em cada um há interesses opostos, coisa pequenas, as vezes até insignificantes que eles lutam para não abrirem mão. Chegam os conflitos. De início pequenas arestas, depois as intrigas crescem e tornam-se mais difíceis de administrar. Descobrem á duras penas que Casamento é uma vida de renúncias e que jamais seguirão juntos se não renunciarem ás suas vontades em função do outro.

A Saída.

A tempo resolvem acabar os atritos dialogando e assim conseguem aparar as arestas e conter as discussões. Renunciam o que podem para tornar o outro feliz e acabam descobrindo a felicidade na ação de renunciar. Há sim um enorme poder na renúncia e o casal que experimentar esta ação certamente colherá os frutos de um casamento longo e duradouro. Amar não é viver para si, mas pelo outro e a vida conjugal só torna-se blindada com o 'Poder da Renúncia."

Texto de Tony Casanova - Direitos Autorais Reservados ao autor.
É proibida a cópia, colagem e ou reprodução, divulgação em qualquer meio sem autorização prévia expressa pelo autor sob pena de infração ás Leis Brasileiras de Defesa dos Autorais. Copy Right 2014 By Tony Casanova - All Right Reserved.

Seguidores do Google