A importância da Ética na construção da Sociedade.


Ética+Direito+Sociedade
Toda sociedade é regida por um conjunto de Leis que estabelecem a ordem e garantem os Direitos aos seus indivíduos, isto é fato desde a criação da própria Sociedade. Por mais simples e pouco organizadas que fossem, as Constituições sempre regeram os cidadãos do mundo. A Ética dentro destas Constituições sempre foi um destaque. Como um conjunto de ações individuais, teoricamente a Ética deveria estabelecer a confiança entre os indivíduos de um grupo e também da Sociedade como um todo. De fato, infelizmente isto não acontece em nossos tempos. Óbvio que como a Ética é um fator individual, não me refiro aqui de forma generalizada. A saber temos exemplos comportamentais que asseguram a prática da Ética de muitos indivíduos, mas a grosso modo, a Ética não é o forte das classes do Século XXI.
Dentro do seu conceito amplo, a Ética promove a Moral Pessoal, Profissional e Social do cidadão, gerando-lhe Idoneidade nas suas atribuições, garantindo a Confiança de todos nas suas ações. É lógico que não há fórmula que construa uma Sociedade Ética sem que haja Confiança nas ações por ela praticadas, desta forma, a Ética é o começo, o meio e o fim de toda Idoneidade Moral de uma Sociedade. Não há como ser “Sociável” sem que tenhamos confiança no outro e sem Sociabilidade não teremos Sociedade.
Quando o Conjunto de Leis que regem a Sociedade não é respeitado, os indivíduos passam a viver sem regimento, de forma isolado e tendendo a criar suas próprias Leis. Evidentemente que se cada um advoga em causa própria, o que se pratica não é Justiça, mas a unilateralidade da Defesa das próprias ações. O objetivo da Constituição é o benefício de toda espécie, sem seleção de indivíduos, mas abraçá-los como um todo, garantindo a cada um os mesmos Direitos cabíveis a todos. Não deve haver Privilégio Legal para que não se abra uma ferida na própria Constituição, retirando dela a Confiança necessária para que acreditemos nela como regimento Idôneo e capaz de promover a integridade dos Direitos do Cidadão, assim entendemos que também a Lei deve ser Ética, precisa e justa.
Mas se a Lei enquanto Constituição deve ser justa, porque ainda há indivíduos que não confiam nela? Este fato se dá porque temos três tipos de Leis diferentes:
A Lei que se Escreve.
A Lei que se Fiscaliza.
A Lei que se Executa.
Teoricamente estas diferenças não deveriam existir já que estamos falando da mesma Lei, mas em se tratando de Leis, tudo é inicialmente teórico até que torne prática. Ai é onde encontramos a maior brecha legal de todas as Constituições; As mãos. As mãos de quem escreve, de quem fiscaliza e de quem executa. As Leis, teoricamente são perfeita! Digo isto de todas as Leis. Não há nada errado com as Constituições, mas com aqueles que a fazem. Quando a Confiança não se estabelece, em seu lugar cria-se o Caos Social e em lugar de sermos governados com autoridade, sofremos com o Governo Autoritário. Quando uma Sociedade muda seus hábitos a ponto de precisar mudar sua Constituição, não é a Constituição que precisa ser revista, mas os hábitos da própria Sociedade. A primeira parte da Construção da Ética de um povo vem da Confiança que ele tem naqueles que o Governam e é com exemplos de Ética que se constrói um Governo justo com uma Sociedade que respeita sua Leis.

Texto do Escritor Brasileiro Tony Casanova. Direitos Autorais Reservados ao autor. Proibida a cópia, colagem, reprodução ou divulgação de qualquer espécie ou em qualquer meio sem autorização expressa do autor sob pena de infração ás Leis Brasileiras de Proteção aos Direitos Autorais.
Copy Right 2014 By Brazilian Writer Tony Casanova. All Rigths Reserved.

Seguidores do Google