Diferenças básicas entre o amor e a paixão. [Tony Casanova]


Diferenças básicas entre o amor a paixão

É perfeitamente admissível que se faça confusão ao falar de amor e paixão. Somos levados desde cedo a acreditar que ambos sejam o mesmo, mas na verdade não são. Para entender o que se passa quando confundimos um com o outro, vamos lembrar das nossas adolescências, quando começamos a descobrir estes universos tão salutares nesta fase da vida. Mesmo na nossa fase adulta de vida somos cheios de segredos, desejos ocultos, vontades que preferimos não revelar por causa do choque que poderiam causar nas outras pessoas. Na adolescência ocorre o início destes desejos e quando tomados por eles, os meninos e meninas não conseguem refreá-los e tendem a vivenciá-los de forma tão forte que não conseguem escondê-los. Na fase da rebeldia, onde vive-se por quebrar regras, tabus e preconceitos, os adolescentes liberam deus desejos e passam torná-los frequentes nas suas realizações. É um erro? Não, claro que não! Todos nós passamos por esta fase, alguns de forma mais branda, de acordo com a época, outros de forma mais agressiva, como ocorre nos dias de hoje onde a sexualidade está em evidência, mas o certo é que não podemos privar quem quer que seja das suas próprias decisões, das suas experiências porque delas virão os aprendizados importantes da vida. O que é válido salientar é que não podemos confundir amor com paixão. São duas vertentes diferentes e para as quais devemos estar preparados.

A paixão.

A paixão é a explosão do desejo, a ânsia dos sentidos. É o querer tocar e ser tocado, querer ver, ouvir, sentir o cheiro do outro. A paixão é a prova dos lábios, o encontro das bocas, é o arrepiar da pele, o calor que se sente quando tocado(a). Percebeu como a paixão está diretamente envolvida com os sentidos? Vamos analisar comigo as ligações da paixão com os sentidos então:

- A audição. Quem não fica trêmulo(a), nervoso(a) ao ouvir a voz da pessoa desejada? Neste momento nos vem uma série de pensamentos cheios de malícia e de lembranças. Apaixonados somos capazes de desenhar a figura do outro apenas pelo ouvir da sua voz. O coração acelera, pernas tremem, corpo aquece e a nossa voz some. isto é paixão.
- O olfato. Imagine que você sente o cheiro da pessoa desejada mesmo que ele(a) não esteja usando perfume algum. Como é gostoso o cheiro da pele, do suor, o cheiro dos cabelos. As vezes o cheiro é suficiente para nos acender a chama do desejo.
- O tato. Este sim, é um dos sentidos que estão mais fortemente aliados á paixão. É através dele que tocamos, trocamos carícias, sentimos o arrepio da pele, o retesar do corpo, o enrijecimento dos músculos. Paixão pura. Desejo, loucura, algo que só o tato é capaz de produzir em um único toque. Imagine um beijo suave na nuca, atrás do lóbulo da orelha! Isto é paixão.
- O paladar. Quem não sente aquele gosto maravilhoso quando beija. O sabor salgado do suor no corpo, o sabor inconfundível da língua quente enfiada na boca. Isto é paixão.
- A visão. A visão é o sentido mor da paixão. Ela é a porta de entrada de tudo que desejamos. Quem nunca teve uma experiência secreta de ver e cobiçar, comer com os olhos, despir, quase que incinerando as roupas da pessoa desejada.Isto é pura paixão.
Como vimos a paixão atua forte na esfera dos sentidos, ela é desejo, é cobiça, luxúria. A paixão é tesão puro!

O amor.

Entramos agora no terreno das ações. Sim porque o amor é movimento, é dinâmica. Amor de palavras não existe, amor de atitudes sim. O amor enquanto palavra é promessa, que pode ou não ser cumprida, mas o amor nas atitudes é ação já concretizada, o fato já ocorrido. Enquanto a paixão resume-se ao campo físico, o amor baseia-se no inusitado campo dos sentimentos. O amor é poderoso por si só, ele é capaz de curar, trazer o desejo da vida quando recíproco ou a vontade da morte quando não retribuído. Fôssemos falar de forma teológica eu diria que temos três campos distintos no amor: O amor pela carne, pelo sangue e pelo espírito, mas isto foge do que elaborei para vocês e por isso não irei me aprofundar neste ênfase. Na verdade amor e paixão são sentimentos opostos, não no que diz respeito a sua importância para o ser humano, mas no sentido de não serem confundidos. Um trata do prazer, do desejo do corpo, dos sentidos enquanto o outro trata-se das ações dos sentimentos. O amor é sublime, é pureza, é atitude nobre. O amor é a concretização da paixão, seu segmento, o ápice de toda relação.

Texto do Escritor Brasileiro Tony Casanova - Direitos Autorais Reservados ao autor. Proibida a cópia, colagem, reprodução de qualquer espécie ou divulgação em qualquer meio, do todo ou parte dele sem autorização expressa do autor sob pena de infração ás Leis Brasileiras de Proteção aos Direitos Autorais.
Copy Right 2014 by Brazilian Writer Tony Casanova - All Rights Reserved.

Seguidores do Google