Linha Investigativa - Parte 4 [Tony Casanova]


Linha investigativa parte 4 vai abordar alguns aspectos importantes em uma investigação. Os relatos que você encontra em Linha Investigativa são colhidos em diversas pesquisas deste escritor, que faz questão em revelar aqui que não sou Perito-Técnico-Criminal, portanto tudo que encontra-se relatado está passível de correção ou contestação por parte destes profissionais. A tempo friso que este não é um material didático, mas de caráter ilustrativo. Agora vamos à matéria. É óbvio que qualquer investigação tem sua razão de existir e para que exista precisa de um fator importante; o delito. Se não há delito, este que deve ser um fato ou a suspeita dele, nenhuma investigação é razoável. Vamos aos fatores que compõem a investigação:

O fato, a suspeita deste ou o Delito. Representa os acontecimentos que conduzem a uma investigação.
Os Indícios. São os fatos em ordem cronológica que irão conduzir aquele que o praticou ou mesmo tornar concreta a existência do fato.
As Provas. São os acontecimentos compostos de todos os indícios que comprovam a prática do Delito. Fatos como local, data e horário, modo de prática ou modus operandis, envolvimento de terceiro, razões da prática.
A confissão. Obtida a partir de depoimento onde são coletadas provas ou confissão de culpa e detalhes da prática. A confissão revela não só a culpa, mas a razão da prática do delito juntamente com a maneira utilizada para a prática e os detalhes essenciais desta ação.

É correto afirmar que não há crime perfeito e no máximo o que um investigado pode fazer é dificultar as investigações ocultando provas, removendo indícios. Mascarando o local para conduzir ao erro as ações de quem o investiga. A segunda ação do investigado é criar um álibi, ou seja, produzir provas contrárias aos fatos. Ocorre que nesta construção ficam indícios e que se forem comprovados, recolocam a investigação apontando diretamente para o suspeito. Ai cria-se o agravante de ocultação de provas, dificultar a ação de investigação ou obstruir a Justiça. A ausência de provas não exclui a possibilidade do delito, pelo contrário, torna quase que evidente que houve manipulação dos indícios. Em todas as investigações onde há dificuldade de se encontrar os indícios, há a grande possibilidade de ter havido ocultação de provas.
Assim como não há crime perfeito, nenhum álibi é perfeito a menos que seja verdadeiro. Aquele que investiga deve estar atento a todos os detalhes, ainda que sejam mínimos, eles podem revelar uma falha no álibi e consequentemente a queda do argumento do investigado. As provas, ainda que ocultas existem e as falhas de qualquer álibi podem surgir se a investigação for bem feita. Ninguém varre um chão sem deixar os riscos da vassoura. Pegadas podem ser apagadas, sapatos podem ser limpos, veículos lavados, mas ainda assim ficam vestígios que podem ser investigados. Os indícios podem ser manipulados, mas as falhas serão encontradas nas alegações. Todo material humano é falho por natureza, não só os investigadores, mas também os acusados, por isso é importantes estar bem preparado quando iniciar a investigação. Esta foi a matéria de hoje de Linha Investigativa, espero que tenham gostado. Um forte abraço e até a próxima.

Texto do Escritor Brasileiro Tony Casanova. Direitos Reservados ao autor. Proibida a cópia, colagem, reprodução de qualquer espécie ou divulgação em qualquer meio, do todo ou parte dele sem autorização expressa do autor sob pena de infração ás Leis Brasileiras de Proteção aos Direitos Autorais.
Copy Right 2014 by Brazilian Writer Tony Casanova.

Seguidores do Google