Impeachment - Solução ou paliativo? [Tony Casanova]


Eis um assunto que eu não tenho muito prazer em falar, mas que me obrigo diante das atuais circunstâncias políticas em que o Brasil encontra-se. Longe de dar uma opinião inflamada de paixões, idealismos e fanatismo político, farei um magro e pobre comentário sobre a minha ótica diante dos fatos, apesar de crer que na atual conjuntura, nada que se acrescente possa ser muito relevante, principalmente vindo deste reles escritor medíocre que vos escreve. Brasileiros possuem uma veia acesa para a formação de torcidas e o assunto política é um dos prediletos, onde cada um tem e defende “seu candidato” como se ele fosse um Deus. Eu sempre procurei ver a política dos resultados e esquecer a dos discursos, porque em cinquenta anos eu já colecionei tantos discurso político que se tudo que se disse, fosse realmente cumprido, bastava um só Governo e transformaríamos o Brasil em um verdadeiro paraíso.
Atualmente oprimido, o povo brasileiro ou melhor, políticos brasileiros resolveram aventar a ideia do Impeachment da atual Presidente Dilma Rousseff. Este é o assunto mais comentado nas mídias. Vemos passeatas, carreatas, manifestações de toda sorte e em todo o País, todas sempre devidamente acompanhadas de líderes e partidos políticos, loucos pela saída da Presidente. Eu observo atos como um pedido de Impeachment como meramente políticos e não populares. Manifestações como as que reúnem mais de 100 mil pessoas , em geral sempre tem apoio, participação ou cunho político. Desta vez não vejo de forma diferente. Não irei me ater a números ou fazer aqui citações de fatos, estes todos já conhecemos, muito menos irei ditar adjetivos para qualquer político que seja, enquanto dou aqui minha ínfima opinião, faço isso como brasileiro, parte integrante do povo e no exercício constitucional da liberdade de expressão.
Como vem sendo explanado exaustivamente, a questão que vivemos agora não iniciou-se hoje, isto é certo e sabido. Oriunda de uma séria de medidas cujas consequências resultaram na atual crise, não acredito que seja justo atribuirmos a este ou aquele Governo a responsabilidade sobre assuntos de competência dos Governos atuais. Não chegaremos a lugar algum buscando culpados para ocultar a competência que não tivemos para resolver questões inerentes ao próprio Governo. Existem duas realidades que não podemos esconder; primeiro fato é a derrubada de uma série de esquemas seculares denunciados e postos a público e que uma parcela da população apaixonada por seus partidos e candidatos, recusa-se a enxergar e aceitar. Segundo é que a oposição ao Governo já não atua como antes e faz vir à tona todos os fatos que resultam em demonstração de incompetência política do Governo. Trocando tudo isto em miúdos, todas as CPIs resultarão no que sempre resultaram e como sempre será mais fácil um pai de família ou uma avó inadimplente na pensão alimentícia ser levado à cadeia sem Direito a soltura do que um sonegador de milhões de Reais ser preso e devolver o dinheiro.
O que pesa sobre o Partido dos Trabalhadores , o PT hoje é o fato de vários outros partidos terem sido Governo e nunca terem alterado Direitos constituídos aos trabalhadores, mas o PT que veio de um discurso pró-trabalhador, lutava acirradamente como oposição e fazia promessas de luta contra as patronais e a favor da classe operária, mas tem removido Direitos adquiridos pelos trabalhadores bem antes da sua chegada à Presidência. Imagino que seja mais fácil alterar o curso de aposentadorias, seguro-desemprego, do que rever salários de parlamentares e chefes de Estado. Uma decepção para aqueles que acreditaram em anos e anos de discurso e hoje se veem participando dos maiores escândalos políticos da História do País. Já tivemos outras crises, outros Governos, já sofremos, tivemos escândalos, mas não tão Históricos e relevantes quanto a atual situação nos revela.

Texto do Escritor brasileiro Tony Casanova – Direitos Autorais reservados ao autor. Proibida a cópia, colagem, reprodução de qualquer espécie ou divulgação em qualquer meio, do todo ou parte dele, sem autorização expressa do autor sob pena de infração ás Leis Brasileiras e Internacionais de Proteção aos Direitos de Propriedade Intelectual. O uso da presente obra sem respeito aos créditos devidos ao autor incorrem em Crime de Plágio.

Seguidores do Google