Crônica - Mãe, tô grávida!


- Mãe, eu tô grávida.
- Filha, mas como isso aconteceu?
- Como aconteceu mãe? Acontecendo ora, voce sabe como!
- Filha voce tá louca, não usou camisinha?
- Ele usou mãe!
- Mas e como voce engravidou menina?
- Furou mãe, furou entendeu?
- Eu sei que furou filha e deve ter sido muito para estourar a camisinha.
- Para mãe, se liga, é sério.
- Seríssimo, mas pelo menos o pai da criança sabe né?
- Que pai mãe? Acorda!
- Como assim acorda, como que pai? O pai do seu filho ora, já falou com ele?
- Mãe, realiza, eu não sei quem é o pai!
- Como assim não sabe quem é filha? Quem diabos estava usando a camisinha que estourou?
- Sei lá mãe, na hora eu tava muito louca.
- Muito louco vai ficar teu pai quando souber.
- Já disse mãe, eu tava chapada na hora.
- Chapada tú vai ficar é quando teu pai souber.
- Não brinca mãe, pelo amor de Deus, não conta nada pro papai, ele vai me matar.
- Vai mesmo! Mas eu não vou contar nada a ele agora, daqui a nove meses ele saberá mesmo.
- Mãe eu vou tirar!
- Tirar o que?
- Tirar o filho mãe, vou abortar. Tá doida, não posso ter este filho!
- Primeiro eu acho que aqui quem tá doida é voce. Aliás, acho que voce ainda tá chapada. Chapadona. Segundo eu te digo que se voce não tivesse grávida quem iria tirar alguma coisa aqui seria eu: Iria tirar a mão do bolso e lascar na tua cara!
Mas mãe, o que eu faço? O que vou fazer?
- O que voce irá fazer eu não sei, mas sei o que eu farei: Vou acompanhar voce mês-a-mês no pré-natal e garantir que voce não vai tirar coisa alguma.
- Mãe, eu nem sei quem é o pai.
- Filha, se voce vai ter um bebê e não sabe quem é o pai, não é por isso que voce não saiba quem é a mãe e os avós. Nós, eu e teu pai não sabemos quem é o pai do teu filho, igualzinho a voce, mas sabemos que iremos amá-lo assim como amamos a mãe dele que nós sabemos quem é.
- Poxa mãe, eu te amo.
- Ama filha? Muito?
- Sim amo muito, muito, muito.
- Então divida este amor que sente e dê parte dele ao teu filho, pois a ele pode faltar um pai, mas jamais faltará amor.
- Voce me ajuda mãezinha?
- Claro filha.
- Me abraça.
- Vem cá.

Texto de Tony Casanova - Direitos Autorais reservados ao autor.
Facebook - tony.casanova1
Twitter - prodacultural

Seguidores do Google