O fundamental da beleza


O+fundamental+da+beleza
Beleza? Sim, ela é fundamental. Não porque alguém já tenha dito ou porque um famoso declarou isso, mas porque desde os primórdios, Deus concebeu o lindo em tudo que fez. Se olharmos á volta veremos quantas coisas belas existem e como nos inclinamos para elas. Gostamos do belo sim e não há nada errado nisso, mas o que assombra é a maneira como estamos sendo conduzidos a reconhecer as belezas. Belezas sim, digo porque há dois tipos; a Interior e a Exterior.
Ao olharmos árvores, frutas, paisagens, pessoas e tudo que nosso olhar possa alcançar, vislumbramos o belo exterior. Vemos a casca de todas estas coisas. Esta beleza existe para deleite dos nossos olhos, que encantados, contemplam aquilo que nos parece singular. Toda beleza palpável é finita, não importa de onde venha. Assim como a vida, todo belo exterior também perece ao longo do tempo. É preciso valorizarmos o exterior, mas observar que muitas vezes ele é inútil na sua praticidade ou pelo menos não pode ser comparado ao que não conseguimos ver.
Vamos analisar algumas opções dentro da beleza exterior e vermos que também para aquilo que vemos existe o belo interior. Tomemos como exemplo a Maçã, esta fruta linda. Dona de uma cor avermelhada degradê, casca muito fina e forma arredondada. Muitos artistas já reproduziram imagens desta fruta maravilhosa. Agora pense que você está vendo uma linda maçã posta em suas mãos. Analise-a com cuidado e veja o quanto é linda, colorida e agradável à visão. O que você vê é a beleza exterior da fruta, mas imaginemos que ela esteja envenenada. Você conseguiria ver este veneno apenas observando-a exteriormente? Não, é claro! E se você soubesse que a fruta estaria com veneno não a comeria. A questão é que costumamos comer maçãs apenas porque gostamos da sua apresentação, pela sua forma, cor e brilho.
Na verdade muitos apreciam muito o sabor, o valor nutritivo das maçãs, mas na hora da escolha o que pesa é a beleza exterior do fruto. Somos condicionados a consumir embalagens, rótulos que na maioria das vezes, nos iludem por esconder o veneno que contamina o conteúdo. Vamos então analisar a beleza interior? Se seguirmos o mesmo exemplo da maçã, veremos que o que mais nos agrada está no valor nutritivo, no sabor agradável. Estas são as qualidades da fruta e tais atributos estão presentes nela ainda que não possua uma boa apresentação. Quando se cultiva uma árvore na disposição de que produza bons frutos, lindos exterior e interiormente, ai poderemos oferecer algo que não produza danos e sim traga benefícios a quem o consome. Para Deus nós somos como árvores e aptas a dar bons frutos, mas nem sempre os produzimos. Beleza é fundamental sim, mas que tipo de beleza estamos buscando? Que tipo de beleza estamos oferecendo?

Texto do Escritor Brasileiro Tony Casanova. Direitos Autorais Reservados ao autor. Proibida a cópia, colagem, reprodução ou divulgação do todo ou parte dele, em qualquer meio, de qualquer espécie sem autorização expressa do autor sob pena de infração ás Leis Brasileiras de Proteção aos Direitos Autorais.
Copy Right 2014 by Brazilian Writer Tony Casanova. All Rights Reserved.

Seguidores do Google