Fidelidade - O preço da traição. [Tony Casanova]


Qual o preço que se paga por ser infiel e será que realmente vale a pena pagar um valor tão alto apenas por uma aventura? Até que ponto é possível ocultar aventuras tidas fora ou até mesmo dentro de casa? Como sempre costumo fazer, principalmente abordando temas tão delicados e que interessam a muitas pessoas, não vou fazer aqui distinção de sexo, mas falarei para todos, afinal a traição nunca foi um privilégio masculino e em nossos tempos tornou-se tão comum entre homens e mulheres que seria injusto dirigir a matéria apenas aos homens.
Não vou dizer aqui o que é certo ou errado, cada um é dono das próprias escolhas e tem obrigação de conhecer suas consequências. Como todos somos adultos, não precisaremos alegar inocência no assunto ou culpar o outro pela traição que cometeu ou comete. Sinta-se à vontade ao ler este texto, ele não foi elaborado para tecer acusações, mas para esclarecer e ajudar na forma possível, aqueles que estão insatisfeitos com a sua situação conjugal. Vamos começar simulando uma situação corriqueira para quem está em matrimônio. Vamos imaginar juntos uma cena: Você na Igreja, mãos nas mãos do seu cônjuge, prestes a dizer o “Sim”. Antes desta palavrinha mágica existe um juramento de fidelidade que não se resume apenas à parte física do matrimônio, mas a todas as suas vertentes. “... Jura honrá-lo e amá-lo na pobreza e na riqueza, na saúde e na doença, na alegria e na tristeza até que a morte os separe?” “Sim”, ambos respondem. Neste momento vocês deram suas palavras, firmaram um compromisso diante de Deus, da Igreja e do Sacerdote de que seriam fiéis um ao outro. Mas tem muita gente pensando; - Eu não casei na Igreja, apenas no Civil ou estou morando junto. E dai? Não importa a situação, mas você tem alguém e por Dever de Honra, por Obrigação mesmo, deve respeitar o outro em qualquer circunstância. Casados na Igreja, no Cartório, Amancebados, Ajuntados, União Estável, Namorados, Ficantes. E dai? Você quer respeito e deve dar-se ao respeito.
Antigamente a suposta traição era deflagrada quando havia um colarinho manchado de batom, um perfume diferente na camisa, atrasos comuns na vinda do trabalho. Hoje estamos em épocas modernas e a traição também evoluiu. Se antes ligava-se marcando encontros furtivos, hoje já não é preciso. Existe o WhatsApp, o Messenger, O Facebook e tantas outras formas de comunicar-se e as conversas além de serem mais difíceis de serem flagradas , tem a vantagem da possibilidade de enviar fotos e vídeos. As vezes nem é preciso sair de casa, comete-se o ato ali mesmo, no conforto do lar. Estranho isso não é? Nem tanto. Faz parte da evolução humana. O maior problema encontrado na traição é que quem trai não aceita ser traído, ai o bicho pega! Meu avô brincava com a situação dizendo que chumbo trocado não dói. Mas deve doer pra dedel.

O preço da traição.

Em geral quem trai possuía uma vida matrimonial razoável e que não pretende abrir mão, seja pelo aspecto afetivo ou mesmo pelo conforto da estabilidade financeira. É fato comum aquele que
está traindo citar o nome do cônjuge com adjetivos, referindo-se ao outro como “ótima pessoa, responsável, amável e fiel” , mas então porque trair alguém assim? Ai está a pergunta cuja resposta não cabe a mim responder, mas por certo ou quem diz isso mente ou está apenas tentando amenizar a própria culpa demonstrando algum afeto pelo traído. Seja lá qual for a razão o preço por qualquer traição, vinda de quem for, é o mesmo; O fim do casamento e a dissolução da família. Dou uma parada aqui e pergunto: - Depois de ter lutado tanto, construído uma família sólida em relação de confiança, adquirido bens e conforto para todos, vale a pena jogar tudo pro alto em troca de prazer físico? Vale a pena destruir tudo que levou a vida construindo apenas pelo prazer de uma paixão que provavelmente durará bem menos do que se imagina? E o juramento feito, a palavra dada, o amor confesso, a família e o respeito, onde ficam? Perguntas que deixo para a reflexão dos que traem. Um forte abraço, que Deus os abençoe e harmonize teu lar. Até a próxima e se quiser, deixe seu comentário, serei grato em ter a sua opinião.

Texto do Escritor Brasileiro Tony Casanova. Direitos Reservados ao autor. Proibida a cópia, colagem, reprodução de qualquer espécie ou divulgação em qualquer meio, do todo ou parte dele sem autorização expressa do autor sob pena de infração ás Leis Brasileiras de Proteção aos Direitos Autorais.
Copy Right 2014 by Brazilian Writer Tony Casanova.

..............................................................................................................................

Loyalty - The price of betrayal. [Tony Casanova]

What is the price one pays for being unfaithful and is it really worth paying so high a value only for an adventure? To what extent is it possible to hide adventures taken outside or even inside? As I always do, especially addressing such delicate topics that interest and many people will not do here regardless of sex, but I will speak for everyone, after all the betrayal was never a male privilege, and in our time has become so common among men and women would be unfair to direct the matter to men only.
     I will not say here what is right or wrong, everyone owns their own choices and have an obligation to meet its consequences. As we are all adults, we need not plead innocence in the matter or blame the other for the betrayal he has committed or commits. Feel at ease while reading this text, it is not designed to weave accusations, but to clarify and help as possible, those who are dissatisfied with their marital status. Let's start simulating a common situation for those in marriage. Let's imagine a scene together: You in Church hands in the hands of your spouse, about to say "Yes". Before this magic word exists an oath of allegiance that is not just the physical part of marriage, but all its aspects. "... Jura honor him and love him in poverty and wealth, in sickness and in health, in joy and sorrow till death do you part?" "Yes," both respond. At this time you gave your words, have entered into a commitment before God, the Church and the priest that they would be faithful to each other. But a lot of people thinking; - I did not get married in the church, just in Civil or am I living together. So what? No matter the situation, but you have someone Duty and Honor, by the same obligation, must respect the other under any circumstances. Married in the Church, the Clerk, Amancebados, assembled, Stable Relationship, Love, Dating. So what? You want respect and should give respect.
     Formerly the supposed treachery was triggered when there was a lipstick-stained collar, a different scent on the shirt, common delays from work. Today we are in modern times and betrayal also evolved. If before linking up scoring furtive encounters today is no longer accurate. There WhatsApp, Messenger, Facebook and so many other ways of communicating and conversations as well as being more difficult to be caught, have the advantage of the ability to send photos and videos. Sometimes it is not necessary to leave home, commits the act right there in the comfort of home. Strange is not it? Not so. It is part of human evolution. The biggest problem encountered in betrayal is that whoever accepts betrays not be betrayed, alas catches the worm! My grandfather played with the lead changed situation by saying that it does not hurt. But it must hurt like Dedel.
   
                                                The price of betrayal.

     In general who betrays had a reasonable marital life and you do not want to give up, is the affective aspect or even the comfort of financial stability. It is common fact that one
is cheating name the spouse with adjectives referring to each other as "good, responsible, loving and faithful," but then why cheat on someone like that? Ai is a question whose answer is not for me to answer, but right or who says it mind or are just trying to assuage their guilt by showing some affection betrayed. Whatever the reason the price for any betrayal of who is coming, is the same; The end of the marriage and the dissolution of the family. Take a break here and ask: - After having fought so hard, built a solid family trust, purchased goods and comfort for all it's worth throw it all away in exchange for physical pleasure? Worth destroying all that took their lives building just for the pleasure of a passion that will probably last a lot less than you think? And the oath, the word, confess love, family and respect, where they are? Questions I leave the reflection of who cheat. Sincerely, God bless them and harmonize your home. Until next time and if you want, leave your comment, be grateful to have your opinion.

     Text of the Brazilian writer Tony Casanova. Rights reserved to the author. Prohibited the copy, paste, reproduction or dissemination of any kind in any medium, of the whole or part without the express permission of the author under penalty notices Brazilian ace Laws to Protect Copyrights.
     Copy Right 2014 by Brazilian Writer Tony Casanova.

..........................................................................................................................

Lealtad - El precio de la traición. [A Tony Casanova]

¿Cuál es el precio que uno paga por ser infiel y es lo que realmente vale la pena pagar tan alto valor sólo para una aventura? ¿Hasta qué punto es posible ocultar aventuras tomadas fuera o incluso dentro? Como siempre lo hago, abordando especialmente temas tan delicados que de interés y muchas personas no van a hacer aquí sin distinción de sexo, pero yo hablo en nombre de todos, después de todo la traición nunca fue un privilegio masculino, y en nuestro tiempo se ha vuelto tan común entre los hombres y mujeres sería injusto para dirigir el asunto a sólo los hombres.
     No voy a decir aquí lo que está bien o mal, todo el mundo es dueño de sus propias decisiones y tienen la obligación de hacer frente a sus consecuencias. Como todos somos adultos, no tenemos que suplicamos inocencia en el asunto o culpar al otro por la traición que ha cometido o comete. Siéntase a gusto mientras que la lectura de este texto, que no está diseñado para tejer acusaciones, pero para aclarar y ayudar como sea posible, a aquellos que no están satisfechos con su estado civil. Vamos a empezar la simulación de una situación común para aquellos en el matrimonio. Imaginemos una escena juntos: Usted en manos de la Iglesia en manos de su cónyuge, a punto de decir "Sí". Antes de esta palabra mágica existe un juramento de lealtad que no es sólo la parte física del matrimonio, pero todos sus aspectos. "... Jura le honra y le aman en la pobreza y la riqueza, en la salud y en la enfermedad, en la alegría y la tristeza hasta que la muerte los separe?" "Sí", ambos responden. En este momento te diste tus palabras, han entrado en un compromiso ante Dios, la Iglesia y el sacerdote que iban a ser fieles el uno al otro. Pero un montón de gente que piensa; - Yo no me caso en la iglesia, sólo en materia civil o estoy viviendo juntos. Así que lo que? No importa la situación, pero tienes a alguien deber y el honor, por la misma obligación, debe respetar al otro en ninguna circunstancia. Casado en la Iglesia, el secretario, Amancebados, ensamblado, relación estable, Amor, Novios. Así que lo que? Usted quiere respetar y debe dar respeto.
     Anteriormente la supuesta traición fue provocada cuando había un collar de lápiz de labios manchados, un olor diferente en la camiseta, los retrasos comunes de trabajo. Hoy estamos en los tiempos modernos y la traición también evolucionaron. Si antes de la vinculación anotando encuentros furtivos hoy ya no es exacta. Hay Whatsapp, Messenger, Facebook y tantas otras formas de comunicación y las conversaciones, además de ser más difícil de ser capturados, tienen la ventaja de la posibilidad de enviar fotos y vídeos. A veces no es necesario salir de casa, comete el acto allí mismo, en la comodidad del hogar. Extraño ¿no? No es así. Es parte de la evolución humana. El mayor problema que se encuentra en la traición es que quien acepta no traiciona ser traicionado, ¡ay capturas el gusano! Mi abuelo jugó con el plomo situación cambió al decir que no se pierde nada. Pero debe doler como Dedel.
   
                                                El precio de la traición.

     En general que traiciona tuvo una vida marital razonable y no quieren renunciar, es el aspecto afectivo o incluso la comodidad de la estabilidad financiera. Es un hecho común que uno
es el nombre de engañar al cónyuge con adjetivos referirse el uno al otro como "bueno, responsable, cariñoso y fiel", pero entonces ¿por qué engañar a alguien así? Ai es una pregunta cuya respuesta no es para mí responder, pero la derecha o que dice que la mente o están tratando de calmar su culpa, mostrando un poco de cariño traicionado. Cualquiera que sea la razón, el precio de cualquier traición de quien viene, que es lo mismo; El fin del matrimonio y la disolución de la familia. Tome un descanso aquí y pregunte: - Después de haber luchado tanto, construyó una sólida confianza de la familia, los bienes adquiridos y el confort para todos vale la pena un tiro todo por la borda a cambio de placer físico? Vale la pena la destrucción de todo lo que tuvo su edificio vidas sólo por el placer de una pasión que probablemente va a durar mucho menos de lo que piensas? Y el juramento, la palabra, confesar el amor, la familia y el respeto, donde están? Preguntas que salen de la reflexión de que hacer trampa. Atentamente, Dios los bendiga y armonizar su hogar. Hasta la próxima vez, y si quieres, deja tu comentario, estar agradecidos de tener su opinión.

     Texto de la escritora brasileña, Tony Casanova. Derechos reservados al autor. Prohibida la copia, pasta, reproducción o difusión de cualquier tipo en cualquier medio, de la totalidad o parte, sin la autorización expresa del autor bajo pena da cuenta de Leyes crack brasileño para proteger los derechos de autor.
     Copy Right 2014 por el escritor brasileño, Tony Casanova.

Seguidores do Google